Torcida do Flamengo pressiona elenco no CT, cerca os carros e pede saída de Ceni

Os rubro-negros se concentraram na porta do CT e dificultaram a entrada de jogadores e funcionários




12/01/2021, 17h40, Foto: Reprodução/GE.

O clima segue quente no Flamengo após a sequência de maus resultados do time. Na tarde de hoje (12), um grupo de torcedores fez um protesto na porta do Ninho do Urubu. Os rubro-negros se concentraram na porta do CT e dificultaram a entrada de jogadores e funcionários. (leia mais abaixo)


Com morteiros e gritos de "time sem vergonha", os torcedores, quase todos sem máscaras de proteção, manifestaram sua insatisfação com o momento da equipe em campo. A Polícia Militar foi acionada, mas houve cerco aos carros dos atletas e ovos lançados na direção dos veículos. Uma faixa com os dizeres "Fora Ceni" foi estendida no local, assim como uma que pedia a promoção de Maurício Souza, treinador do sub-20. Havia também uma outra com um pedido de "respeito ao manto sagrado". (leia mais abaixo)


As reuniões durante a segunda-feira (11) entre dirigentes rubro-negros tiveram como objetivo avaliar a gestão do futebol e a performance do time. Isso colocava na berlinda tanto o técnico Rogério Ceni quanto o vice-presidente de futebol Marcos Braz. Há críticas duras da cúpula do clube ao trabalho desenvolvido no futebol, e o presidente Rodolfo Landim e seus pares mais próximos investigam as causas para o fiasco.


Como pano de fundo, há também a disputa entre o vice-presidente de relações externas, Luiz Eduardo Baptista,o Bap, e Braz. Atuando como mediador, o presidente Rodolfo Landim está bastante irritado com a performance do time, mas é menos radical do que Bap na avaliação do departamento de futebol.


Ao mesmo tempo, Landim sabe que, se retirar Braz, ganha um adversário político para eleição no final do caso de fato decida concorrer à reeleição. Fiel ao atual mandatário, o vice de futebol ainda tem uma voz importante de comando no Ninho do Urubu, e uma mudança poderia ser fatal para a sequência do ano no campo e nas urnas.


No final, como saldo, as reuniões abordaram vários dos problemas enfrentados pelo time e elenco, mas não houve corte de cabeças. Ficou claro a todos que será necessário uma correção geral de rumos dentro do departamento de futebol. Há uma crença de que o técnico Rogério Ceni não tem o controle total sobre o elenco rubro-negro, mas um novo voto de confiança foi dado.


Fonte: UOL