Vítimas das chuvas de abril em Campos podem sacar dinheiro do FGTS

O saque-calamidade deve ser solicitado até o dia 30 de junho por meio do aplicativo do FGTS




20/06/2024, 11h44, Foto: César Ferreira/Secom.


Os trabalhadores que possuem carteira assinada, que são residentes no município de Campos e que foram afetados pelas chuvas do fim de abril já podem sacar o saldo do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS) Calamidade. O trabalhador pode sacar até R$ 6.220 de cada conta de sua titularidade no FGTS. O valor está disponível para saque até o dia 30 de junho. A retirada deve ser feita por meio de solicitação no aplicativo FGTS mediante uma série de documentação. Veja as orientações abaixo. 


O saque FGTS-Calamidade para os trabalhadores de Campos foi concedido pelo Governo Federal e viabilizado pelo prefeito Wladimir Garotinho, que realizou diversas reuniões entre as secretarias municipais de Desenvolvimento Humano e Defesa Civil com representantes da Caixa Econômica Federal. No município, as famílias de Santo Eduardo e outras 36 localidades foram atingidas pelas chuvas no final de março, levando o prefeito a decretar o estado de calamidade.(Leia mais abaixo)


A secretária de Desenvolvimento Humano e Social, Aline Giovannini, explica a importância da articulação do município para a concessão do benefício. Ela também pontua que o saque será importante para a reconstrução dos imóveis e restabelecimento da normalidade na vida das famílias afetadas pelas chuvas do fim de março. (Leia mais abaixo)


“Foi uma importante articulação da Prefeitura e Caixa, entre a SMDHS e Defesa Civil, porque nós informamos todos os dados das famílias que foram atingidas pelas chuvas que ocorreram em março. Esses dados foram notificados e confirmaram que aquelas áreas foram afetadas conforme observação da Defesa Civil. Agora, o trabalhador tem a oportunidade de fazer o saque de forma muito simples através do aplicativo do FGTS. Esse saque é um importante mecanismo de aporte para a reconstrução da rotina, do trabalho e daquilo que foi afetado no decorrer da situação de emergência que as pessoas passaram. Esse dinheiro servirá para que as pessoas invistam em suas casas, no mobiliário, ou seja, naquilo que for necessário para a reconstrução das suas atividades diárias”, disse.(Leia mais abaixo)


COMO SACAR - Para pedir a liberação do benefício, o trabalhador que tem direito deve acessar no aplicativo FGTS e fazer a solicitação com clique na opção “Solicitar meu saque 100% digital” ou, no menu inferior, “Saques” e selecionar “Solicitar saque”. Na seleção do motivo do saque, apontar “Calamidade pública” — Informar o nome do município e selecionar na lista disponível, depois digitar o CEP e número da residência e clicar em “Continua”.(Leia mais abaixo)


Depois, é necessário encaminhar os seguintes documentos:



  • - Documento de identidade — carteira de identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou passaporte —, com envio da frente e do verso do documento; foto do próprio rosto (selfie) segurando esse mesmo documento de identificação aparecendo na foto;

  • Comprovante de residência em nome do trabalhador — conta de luz, água, telefone, gás, fatura de internet e/ou TV, fatura de cartão de crédito, entre outros —, emitido até 120 dias antes da decretação de calamidade;

  • Certidão de Casamento ou Escritura Pública de União Estável, caso o comprovante de residência esteja em nome de cônjuge ou companheiro(a);


Em razão dos alagamentos, se não for possível apresentar comprovante de residência em nome do trabalhador, o cidadão deverá apresentar uma declaração da Prefeitura atestando que o trabalhador é residente na área afetada. A dispensa do comprovante de residência foi oficializada em maio pelo governo federal.(Leia mais abaixo)


O cidadão deve selecionar a opção para creditar o valor em conta Caixa, inclusive poupança, ou outro banco. Após o envio, a Caixa irá analisar sua solicitação e, caso esteja tudo certo, o valor será creditado na conta.(Leia mais abaixo)


Se mesmo com o passo a passo o trabalhador não conseguir acessar o aplicativo, a orientação é fazer contato com a Caixa pelos números 4004 0104 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 104 0 104 (demais regiões).