OAB pedirá que STF permita que defesas de Bolsonaro e outros se falem

Moraes acatou pedido da PF e proibiu alvos da operação Tempus Veritatis de manterem contato entre si, inclusive através de advogados




09/02/2024, 14h58, Foto: Divulgação.


O presidente da OAB, Beto Simonetti, disse à coluna que irá apresentar uma petição ao ministro Alexandre de Moraes, do STF, para derrubar a proibição de comunicação entre advogados que consta da decisão sobre a operação sobre Jair Bolsonaro e seus aliados que foi realizada hoje.(Leia mais abaixo)


“A OAB vai peticionar ao STF para assegurar as prerrogativas da advocacia. Advogados não podem ser proibidos de interagir nem confundidos com seus clientes”, afirmou Simonetti.(Leia mais abaixo)


Na decisão, Moraes acatou o pedido da PF para proibir um grupo de alvos da operação de “manter contato com os demais investigados, inclusive através de advogados”.(Leia mais abaixo)


Na mesma petição, a OAB vai ainda comentar outro trecho da decisão, em que é transcrita uma fala atribuída a Jair Bolsonaro. Segundo o relatório da PF, o ex-presidente deu a entender, em uma reunião com aliados, que gostaria de uma nota assinada por diversos atores, inclusive a OAB, para legitimar o discurso dele contra a urna eletrônica.(Leia mais abaixo)


Sobre isso, Simonetti afirma que “a OAB nunca foi procurada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro ou seus interlocutores para a finalidade mencionada. Ao contrário disso, a OAB é criticada por movimentos ligados à corrente do ex-presidente porque não tomamos um lado nas eleições. A OAB manteve, como deve ser, uma postura técnico-jurídica. Em outros temas, pelo mesmo motivo, a Ordem é alvo de críticas de movimentos de esquerda. A atual gestão da OAB tem como prioridade os temas do dia a dia da advocacia, como as prerrogativas da profissão”.


Fonte: Metrópoles