Movimento Direita Campos já tem mais de 10 mil adeptos

Presidente Wander Silveira Júnior fala ao Campos 24 Horas sobre o Aliança pelo Brasil, de Bolsonaro




13/02/2020, 16h19, Foto: Divulgação.

O Direita Campos, movimento que tomou as ruas da cidade em diferentes momentos políticos, especialmente em apoio ao presidente Jair Bolsonaro na época da eleição presidencial e hoje, segundo os organizadores, conta com mais de 10 mil adeptos (a maioria via redes sociais), está na luta pela implantação do futuro partido político Aliança pelo Brasil, idealizado pelo presidente, antigo membro do PSL. Mas, para ganhar o registro na Justiça Eleitoral a tempo de participar das eleições municipais de outubro, precisa reunir exatos 492.015 assinaturas (apoios), o que ainda não foi alcançado, deixando uma dúvida no ar: Vai participar das eleições ou não?


De acordo com o presidente do Direita Campos, o professor Wander Silveira Júnior, o movimento continua como tal, mas em 2018 foi registrado como uma associação. Em entrevista ao Campos 24 Horas, Wander diz que o Direita Campos existe há seis anos, antes mesmo de Bolsonaro ser presidente. “A gente seguia a filosofia de direta e também ele, como deputado federal, que já botava a cara na reta. Também fomos adeptos do Enéias”, conta o presidente do movimento.


ELEIÇÃO MUNICIPAL


Embora o médico endocrinologista Luiz Elpídio Manhães tenha tido seu nome lançado mês passado em reunião do Partido Patriota, no Rio de Janeiro - o partido apoia Bolsonaro em nível nacional - como pré-candidato a prefeito de Campos, Wander Júnior afirma que o Direita Campos desconhece a situação e diz que, “provavelmente será lançado um nome à prefeitura, mas ainda não sabemos quem. A Direita ainda não conversou com nenhum candidato, futuramente vamos conversar, mas com critérios e responsabilidade”.


BOLSONARO X BOLSONARO


Em janeiro de 2018 Jair Bolsonaro desistiu da filiação ao Patriota e optou por se filiar-se ao Partido Social Liberal (PSL), mas, mesmo assim, os filiados ao Patriota continuaram o seguindo e tendo-o como líder político. Bolsonaro saiu do PSL e resolveu criar o Aliança pelo Brasil, partido que o movimento Direita Campos luta por sua implantação. Wander Júnior não acredita em conflito Patriota X Aliança pelo Brasil. “Os que conflitam são os partidos de esquerda e de centro. Acho que eles vão conversar. O Aliança é um cristal polido, pode somar”, afirma Wander Júnior.


CASO DEPUTADA MAJOR FABIANA


Assunto polêmico na cidade foi a vinda da deputada major Fabiana a Campos, mês passado, quando esteve no Hospital Geral de Guarus (HGG), para onde destinou verba de emenda parlamentar. De manhã, ao chegar à unidade a deputada gravou vídeo afirmando que estava decepcionada com o que teria visto no hospital, como filas de espera, demora de atendimento, entre outras, além de não ter conseguido a lista de presença dos médicos e que, por isso, iria registrar queixa na delegacia e se necessário iria ao Ministério Público. Em seguida a deputada foi recebida pela direção do hospital e pelo secretário de saúde do município, onde conversaram de forma amena. Em seguida o vídeo que ela gravou foi apagado de suas redes sociais. Na parte tarde, em entrevista ao Campos 24 horas, afirmou que não foi preciso nada do que teria anunciado e que tudo tinha sido esclarecido.