'Medo de morrer': Homem que baleou PM estava ferido e com medo, diz advogado

Advogado que ajudou nas negociações de entrega conta ao Campos 24 Horas que autor de crime estava com medo e dor por causa de um tiro que levou




21/07/2021, 11h57, Foto: Filipe Lemos/Campos 24 Horas e reprodução.

O presidiário Cristiano Marques Cardoso, de 23 anos, que assaltou e atirou no sargento da PM Gonçalves e o cunhado dele, e ainda roubou a arma do militar durante um assalto, estava ferido e com medo de morrer no momento em que se entregou à Polícia, na tarde desta terça-feira (20). Cristiano estava em liberdade por conta do benefício de 'visita ao lar'. A revelação foi feita ao Campos 24 Horas pelo advogado Marcio Marques, que ajudou nas negociações para que o autor do crime se entregasse. O assalto aconteceu na frente da casa do sargento que é lotado na 6ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), no final da tarde desta segunda-feira (19), no Parque Rio Branco, em Guarus. Na primeira foto acima, Cristiano está algemado dentro de uma ambulância na frente do Hospital Ferreira Machado, para onde foi levado após se entregar à polícia. (leia mais abaixo)


“Quando nos falamos pela primeira vez pelo celular, Cristiano perguntou várias vezes se não haveria risco de vida no momento em que se entregasse, pois ele já sabia que muitas equipes da Polícia o procuravam e várias comunidades tinham sido ocupadas. E que até o tráfico poderia se revoltar contra ele. Mas, consegui convencê-lo de que tudo seria feito de forma segura”, contou o advogado em contato por telefone com a redação do Campos 24 Horas. (leia mais abaixo)


O advogado disse que estava na delegacia de Guarus como contratado pela família de uma adolescente onde Cristiano buscou abrigo após cometer o crime, quando descobriu que uma das pessoas que estavam no local sabia onde Cristiano estava escondido. “A adolescente recebeu Cristiano em sua casa, pois são colegas de infância. Ele não disse que havia atirado no policial. Ela fez um curativo no ferimento a bala que Cristiano tinha no abdomen e depois o levou para a casa da irmã dele, no Parque Guarus”, revelou o advogado Marcio Marques, que acrescentou: (Leia abaixo)


“Comuniquei à Polícia Civil o que havia conversado com Cristiano por telefone. Fomos à casa da irmã dele, um sobrado no Parque Guarus. Ele estava ainda com muito medo. Desceu uma escada sem camisa e com as mãos para cima, mostrando que não estava armado”, afirma o advogado. (leia mais abaixo)


Conforme ainda conta o advogado ao Campos 24 Horas, Cristiano estava com ferimento de tiro no abdômen e com muita dor. “Quando o levamos para o Hospital Ferreira Machado, estava andando devagar por causa do ferimento. Parece que, durante a briga com o cunhado do policial durante o assalto, o próprio Cristiano se feriu com um tiro”. (leia mais abaixo)


Cristiano ainda não deu depoimento. Ele está nesta quarta-feira sob custódia da P2 no Ferreira Machado, onde aguarda para ser submetido à uma cirurgia. Segundo ainda o advogado, Cristiano cumpre pena por um crime e estava em liberdade porque lhe foi concedido benefício de "visita ao lar". “Como houve uma decisão para que os presos com esse benefício não retornem à cadeia por causa do risco de contaminação em razão da pandemia da Covid, Cristiano acabou ficando um tempo maior em liberdade", concluiu o advogado Marcio Marques.

VEJA O CASO COMPLETO AQUI