Hospital de Campanha: vereadora Josiane Morumbi exige providências

Preocupada com o agravamento da situação, a vereadora tem cobrado responsabilidade do governo do Estado em acelerar a conclusão do hospital




22/05/2020, 15h26, Foto: Divulgação.

O vírus da Covid-19 se alastra em Campos, com o aumento do quantitativo de casos de pessoas contaminadas e mortes a cada dia. Enquanto isso, o prometido Hospital de Campanha pelo governo estadual ainda não foi entregue, o que já traz um sentimento de pavor diante do advento de um colapso no atendimento no sistema, onde as vagas de leito de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) já se encontram esgotadas. Preocupada com o agravamento da situação, a vereadora Josiane Morumbi tem cobrado responsabilidade do governo do Estado em acelerar a conclusão do hospital, cuja inauguração já foi adiada por cinco vezes. Na última vez, o governo anunciou que a entrega da unidade ficou para o próximo dia 12. (leia mais abaixo)


“O Hospital de Campanha já deveria estar aqui funcionando e salvando vidas. Aqui em Campos, vivemos um estado de calamidade pública como o restante do Estado do Rio. O que foi feito com os recursos enviados? O Estado do Rio e o município de Campos receberam recursos emergenciais para decretar Estado de Calamidade Pública. E o que foi feito? Enviei um ofício ao vice-governador Claúdio Castro, solicitando que as providências fossem tomadas e que me fosse dado o esclarecimentos a respeito sobre o hospital e em condições ele será entregue, haja vista as orientações técnicas da Anvisa (Agência Nacional de Saúde)”, disse.


A vereadora lembrou que, no dia 15 de abril esteve no local onde será instalado o hospital. “Até hoje aguardamos com grande expectativa a chegada para o dia 23 de maio, dada prevista pela terceira vez para sua inauguração. E agora, quando será mesmo inaugurado? As pessoas não podem ser consideradas apenas como números, meras estatísticas”, desabafou.


Josiane Morumbi pontuou algumas deficiências e analisou a situação de precariedade da alguns equipamentos. “Na visita que fiz constatei que haviam alguns equipamentos enferrujados e as condições, ao meu ver, eram precárias. Muito me preocupa não termos uma instalação completa para atender nossa população”.


A vereadora acrescentou também que “não é de agora que Campos sofre por não ter a pasta da Saúde gerida como tem que ser.   E nesse momento de avanço do vírus, o prefeito do município disponibilizou somente 19 leitos para atender uma população de 500 mil habitantes. O funcionamento desse hospital é uma tentativa de amparo ante a pandemia que avança e nos traz muita esperança”, avaliou.


A representante do Legislativo lembrou ainda que a inauguração do Hospital de Campanha tem como finalidade principal desafogar o sistema tradicional de saúde, acolhendo os pacientes afetados pelo Covid-19, atendendo, na maioria dos casos, pacientes com sintomas mais leves e de baixa complexidade, sendo um suporte essencial para o enfrentamento do vírus, uma vez que não há mais leitos de UTI, com uma ocupação de 100%,  e enfermarias já quase com 90% de ocupação no Centro de Combate ao Coronavírus (CCC) que funciona no Hospital da Beneficência Portuguesa.