Estelionatários que vendiam terrenos com documento falso são identificados

Um integrante do grupo foi preso e um carro de luxo apreendido no Jóquei, em Campos




10/06/2021, 11h58, Foto: reprodução/Campos 24 Horas.

A Polícia Civil prendeu um estelionatário que tentava vender um terreno no bairro do Jóquei com documento falso. Segundo a polícia, o estelionatário de iniciais R.A.P. foi preso nesta quarta-feira (9), e faz parte de um grupo de estelionatários que atua em Campos, cujos integrantes já foram identificados. Inclusive, um carro de luxo também foi apreendido com o preso. A polícia ainda investiga outros golpes de venda de terrenos que teriam sido praticados pelo mesmo grupo. O golpe também envolve o registro de documentos falsos na Prefeitura, Enel e Águas do Paraíba, a fim de enganar as vítimas. (leia mais abaixo)


A prisão foi feita por agentes da 134ª DP/Centro, comandados pela delegada Natália Patrão. Eles chegaram ao estelionatário depois que a herdeira do dono do terreno denunciou o fato à polícia. Os agentes foram ao local, ligaram para o telefone que estava na placa de 'vende-se', e momentos depois o estelionatário apareceu no local, tendo recebido voz de prisão em flagrante. (leia mais abaixo)


CONTRATO FALSO NA PREFEITURA - A herdeira do terreno, situado na rua João Manoel de Faria, constatou que os estelionatários apresentaram um contrato de compra e venda falso a Secretaria Municipal de Fazenda, conseguindo passar o IPTU para o nome de um deles, a fim de enganar as pessoas interessadas na compra.(leia mais abaixo)


Os agentes descobriram que os estelionatários também conseguiram colocar seus nomes nas contas do terreno nas concessionárias Enel e Águas do Paraíba. Um veículo modelo Tucson, avaliado em R$ 130 mil, foi encontrado com o estelionatário. O veículo foi apreendido pra verificação da sua origem. (leia mais abaixo)


O estelionatário ficou preso em flagrante por tentar vender um terreno que não estava no seu nome. A polícia também tomou o depoimento do irmão dele , que disse que R. nunca trabalhou e não sabe como comprou o carro no valor de mais de R$ 100 mil. Os demais integrantes do grupo, um homem e uma mulher, estão sendo procurados.