Governador Cláudio Castro exalta Wladimir e fala em "gestão e competência"

Governador anunciou restaurante para Guarus e falou sobre a gestão de Wladimir




09/05/2021, 00h46, Foto: Campos 24 Horas.

Uma constatação foi feita durante a inauguração do Restaurante do Povo na última sexta-feira: a proximidade do governador Cláudio Castro (PSC) e o prefeito Wladimir Garotinho (PSD)  tem tudo para trazer  grandes benefícios para o município, como o restaurante inaugurado após parceria firmada pela Prefeitura com governo do Estado. Casto já anunciou que irá inaugurar este ano um outro Restaurante do Povo em Guarus. “Graças a Deus conseguimos inaugurar este ano o segundo Restaurante do Povo. E o pessoal de Guarus pode até baixar a faixa que a gente vai fazer o restaurante lá. Não precisa nem de abaixo assinado" disse o governador olhando para as faixas de moradores que reivindicavam um restaurante também para o subdistrito. Castro ainda comentou sobre sua relação com a Alerj, ressaltando sua boa relação com o deputado André Cecciliano,  linha de crédito para microempresários através do Supera Rio, entre outros assuntos. (leia abaixo os principais pontos do discurso do governador em Campos)


O chefe do Executivo fluminense aproveitou para elogiar a “gestão e competência” do prefeito Wladimir Garotinho na parceria com o governo estadual. “Em dezembro naquela transição tão rápida, Wladimir já estava no Palácio pedindo socorro. Eu disse: mas, Wladimir, você nem assumiu e já está pedindo. Mas é este o papel. Mas este é o papel de quem quer ver seu povo ter vida melhor. E se ajudamos é também por sua garra e competência. Porque muitas vezes a gente quer ajudar, mas a pessoa não tem uma forma de convênio ou um projeto, não sabe nem o que pedir. É esse o papel do governador. Porque não foi só dinheiro que nós enviamos, depende de uma gestão qualidade, de planejamento sério e coragem para decisões tomar decisões amargas no início de governo. Essa coragem você demonstrou o tempo todo. Então, se a Prefeitura de Campos começa a ter dias melhores e por sua competência”, elogiou. (leia mais abaixo)


Cláudio Castro também fez referências ao desempenho do secretário “Secretário Bruno Dauaire. "Eu lhe dei uma missão assim que lhe convidei para assumir a pasta porque sabia de seu pedigree. Afinal, você vem do grupo último político que olhou para o pobre nesse estado. Tem uma trajetória de quem sabe o que fazer por quem mais precisa. Graças a Deus já é o segundo restaurante que conseguimos inaugurar e pelo menos mais 10 ou 12 virão por aí”, anunciou. (leia mais abaixo)


PARCERIA E VACINA - Castro destacou a parceria com deputados na Assembléia Legislativa (Alerj) tem sido fundamental para reerguer o Estado e minimizou as divergências com o presidente da Alerj, André Ceciliano (PT). “Receber critica é necessário, as críticas são fundamentais, ninguém cresce só com tapinhas nas costas, para que o governo saiba para onde olhar. Quero agradecer à Alerj, ao amigo André Ceciliano. As pessoas não conseguem entender que divergência não é briga. Já tivermos brigas, algumas não viraram publicas, outra sim e teremos outras. Todos nós lutamos por um estado melhor e as cabeças são diferentes”, pontuou. (leia mais abaixo)


O governador frisou ainda que a pandemia do coronavírus e a fome são os dois maiores adversários da humanidade. “O momento atual é o mais difícil da história do Estado, do País e até da humanidade. Nosso adversário é esta pandemia que já levou mais de 40 mil fluminenses. Duas coisas tem dito sempre: nosso inimigo governador, deputado, presidente, aquele que pensa diferente de nós, o inimigo é o vírus traiçoeiro, o político tem que parar de brigar e combater o vírus e a fome”, aconselhou o governador. (leia mais abaixo)


Castro ressaltou as medidas adotadas no Estado para vacinar a população e no controle dos gastos durante a pandemia. “O então ministro Pazuello me ligou pedindo que privilegiássemos as capitais e eu liguei dizendo que aqui no Rio de Janeiro ninguém do interior era menos importante do que da capital. Não tem essa de capital, interior ou região metropolitana antes ou depois. Do menor ao maior município todos são iguais e importantes para o governo do Estado. Todos serão vacinados juntos, não haverá privilégios”, contou. (leia mais abaixo)


— Enquanto outros estados brigavam com relação a vacinas, discutindo se eram da China ou de outro país, nós do Estado do Rio nos preparamos. Compramos a seringa e a agulha mais barata do país a 17 centavos e montamos um sistema de logística para entregar vacinas em seis horas para o interior — disse ainda.  (leia mais abaixo)


SUPERA RIO - Além do vírus, outra vacina fundamental, disse também o governador, deve ser aplicada contra a miséria e o desemprego nesta pandemia. “A segunda vacina tem que ser contra a fome. Infelizmente, por uma briga política insana só levou país e o estado a gastar mal e tomar decisões erradas. A gente tem hoje pior índice desempregados do país. Infelizmente, temos muita gente abaixo da linha da pobreza e da miséria, mas fizemos junto com a Alerj o nosso auxílio emergencial  Supera Rio que vai atender a mais de 200 mil famílias de baixa renda, e já começa a pagar agora neste mês de maio”, anunciou Castro. (leia mais abaixo)


O programa Supera Rio também abrange socorro aos pequenos negócios com empréstimos de até R$ 50 mil a pequenos e microempresários. “O Supera Rio vai ser fundamental para que possamos retomar o emprego e fomentar as atividades. Não descansaremos enquanto uma pessoa passar fome em nosso Estado não tiver a volta das empresas e dos empregos para dar mais dignidade à população. Por isso fizemos a maior concessão da  história do nosso Estado, onde cada centavo será investido nestes municípios em infraestrutura, saneamento, em pontes e asfalto para melhorar as condições de vida da nossa população”, concluiu.