Estudo aponta percentual de proteção de cada tecido para máscaras

A qualidade do tecido e a forma correta de usar são decisivos para a eficácia do uso das máscaras




29/06/2020, 16h28, Foto: Reprodução.


Mesmo com sinais de retomada nas atividades em alguns pontos do país, em todos eles é unânime a manutenção da obrigatoriedade da máscara na prevenção ao novo coronavírus. (leia mais abaixo)


Mas a qualidade do tecido (e a forma correta de usar)  é decisiva para que as máscaras realmente tenham alguma proteção efetiva.


A cartilha "De olho na covid-19", elaborada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lista os tecidos e suas respectivas capacidades de filtragem de partículas menores que 300 nm, consequentemente, que oferecem maior proteção.


A maior proteção, segundo o estudo, seria a máscara confeccionada com algodão + chiffon, que garantiria 97% de eficiência.


Já o pior desempenho ficou com o tecido algodão 80 fios (1 camada), que só oferece irrisórios 9% de capacidade de filtragem. Com duas camadas do mesmo tecido, a proteção sobe para 38%.


Confira a tabela completa:Fonte: R7