Eleição em Quissamã: Marcinho é pré-candidato a prefeito

Vereador fala ao Campos 24 Horas, aponta problemas do município e aposta no desenvolvimento com geração de emprego e renda




09/02/2024, 09h33 Foto: Divulgação.


Postado por Fabiano Venancio - Aos 44 anos, mas com larga experiência de 20 anos na política, ancorada em três mandatos na Câmara Municipal e duas vezes presidente do Legislativo, o vereador Marcinho Pessanha (MDB), se lança este ano ao desafio de se candidatar à prefeitura nas eleições de outubro para alavancar um possível projeto de desenvolvimento econômico e social com foco na geração de emprego e renda. O pré-candidato a prefeito diz que o município "encontra-se economicamente estagnado, apesar do grande orçamento de R$ 600 milhões". Ainda afirma que o governo de Fátima Pacheco "gasta excessivamente em shows, enquanto há falta de produtos essenciais na área da Saúde". Marcinho também revelou que pode fazer uma aliança com outro pré-candidato à prefeitura, o ex-prefeito Armando Carneiro. O pré-candidato falou ao Campos 24 Horas dentro da série de entrevistas do site a respeito das eleições de outubro próximo nas prefeituras da região. (Leia abaixo)


“A minha pré-candidatura nasceu de uma demanda da sociedade. As pessoas me abordam nas ruas e falam que, em razão de minha experiência acumulada e maturidade política que eu adquiri, já está na hora de tentar a prefeitura no sentido de colocar em prática nossas ideias. Quissamã pode mais. É um município com orçamento per capita entre os mais altos do Estado, batendo os R$ 600 milhões, mas economicamente se encontra estagnado”, analisou. (Leia mais abaixo)


“O desenvolvimento econômico, com geração de emprego e renda, é o eixo central da nossa candidatura. Durante todos esses anos, os governos que se passaram negligenciaram o desenvolvimento econômico. Temos uma ZEN (Zona Especial de Negócios), mas nenhuma empresa foi atraída para lá pelo atual governo”. (Leia mais abaixo)


Outras vertentes do desenvolvimento como o turismo foram apontadas por Marcinho Pessanha. “Quissamã é referência no turismo cultural, histórico e ambiental. Temos o Complexo de Machadinha, os casarões que formam um patrimônio sucateado e entregue ao abandono”. (Leia mais abaixo)


Ainda segundo o pré-candidato a prefeito, “a cooperativa de leite de Macuco instalada no município produzia o triplo da produção atual porque hoje não há investimento governamental na agropecuária, especialmente um programa de incentivo para a produção de leite”. (Leia mais abaixo)


Referência na produção de coco, Quissamã viu a atividade entrar também em fase de declínio. “A envasadora de água de coco importa coco do Espírito Santo porque produtores desistiram de produzir aqui por falta de apoio”. (Leia mais abaixo)  


Para Marcinho Pessanha, o atual governo gasta excessivamente em shows e entretenimento, enquanto há falta de produtos essenciais na área da Saúde. “São R$ 10 milhões com réveillon e carnaval, mais R$ 10 milhões com a exposição agropecuária, mas há falta de medicamentos básicos e fraldas geriátricas em postos de saúde”. (Leia mais abaixo)


O pré-candidato afirma que “o atual governo mostra um atestado de incompetência administrativa se orgulha de 5 mil famílias inseridas em programas sociais quando deveria implementar um programa de geração de empregos para tornar a população menos dependente dos auxílios governamentais”. (Leia mais abaixo)


Na Saúde, Pessanha critica a subutilização do Hospital Municipal. “Poderíamos ter alguns serviços evitando que famílias saiam de madrugada em vans para fazer exames em outras cidades, inclusive no Rio de Janeiro, quando poderíamos ter aqui um centro de imagens e de mamografia, entre outras especialidades”, finalizou. (Leia mais abaixo)


ALIANÇA COM ARMANDO - No próximo dia 15, o diretório estadual MDB deve chancelar na convenção seu nome como candidato. Marcinho Pessanha admite que tem mantido conversações com o ex-prefeito Armando Carneiro visando uma aliança com o PL nas próximas eleições. (Leia mais abaixo)


No entanto, a pré-candidatura de Armando enfrenta problemas judiciais. Nesta semana, o Tribunal de Justiça do Rio negou o recurso para anulação da sua condenação por nepotismo. Ele foi condenado por ter nomeado o tio e o sobrinho da sua esposa, a vereadora Alexandra Moreira, quando governava a cidade. Armando recorreu ao Superior Tribunal Federal (STF), que reenviou o processo para a Justiça do Rio. (Leia mais abaixo)


Em Quissama, fontes do Campos 24 Horas ainda revelam que, se Armando não confirmar sua candidatura, a expectativa é que sua mulher pode ser a candidata à prefeitura do grupo político