Criado Grupo de Trabalho para analisar situação de catadores de recicláveis

Diretoria de Economia Solidária realizou reunião nesta segunda-feira (1º), que contou com a participação de representantes do poder público, cooperativas e ITEP/Uenf




03/03/2021, 15h08, Foto: Divulgação.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, através da Diretoria de Economia Solidária, se reuniu nesta segunda-feira (1º) com representantes das quatro cooperativas de materiais recicláveis de Campos (Reciclar, Cata Sol, Nova Esperança e Renascer) e entidades ligadas ao setor, para criar um Grupo de Trabalho para análise da situação dos cooperativados e estudos para possível contrato com a prefeitura. A atual gestão quer a retomada dos avanços que a categoria teve na gestão da prefeita Rosinha Garotinho porque, nos últimos quatro anos, houve um retrocesso das conquistas. (leia mais abaixo)


Segundo o economista Sandro Figueredo, diretor de Economia Solidária, entre as demandas apresentadas estão a retomada da coleta seletiva e como o Programa Economia Solidária pode ser mais efetivo. Ficou definido no encontro que será feito um estudo de viabilidade para possível contrato da prefeitura com as cooperativas.  “Eles também relataram a necessidade de retomar os pontos de coleta seletiva para aumentar o volume de material que chega às cooperativas porque, com as perdas dos últimos anos, os trabalhadores do setor encontram-se em situação precária”, informa o diretor. (leia mais abaixo)


Durante a reunião, os cooperados informaram que já chegaram a receber, em média, R$ 1000, por mês, pelo trabalho na cooperativa e passaram a receber R$ 300. Entre os motivos apresentados estão a falta de investimentos e as perdas que tiveram com a suspensão do Programa de Coleta Seletiva na gestão passada.  “Já foi deliberado o início do estudo para possível contrato com as cooperativas, aumento da coleta seletiva e construção de um Plano Municipal de Resíduos Sólidos”, informa Sandro Figueredo.


Sem o programa, cada cooperativa passou a receber da concessionária responsável pela limpeza quatro caminhões de coleta domiciliar, de onde fazem a seleção do material reciclável. De acordo com o diretor de Economia Solidária, a próxima reunião contará com a participação da Subsecretaria de Meio Ambiente, ligada à Secretaria de Planejamento Urbano, Mobilidade e Meio Ambiente.


A prefeitura tem mantido permanente diálogo, através do Fórum de Economia Solidária, com as cooperativas de materiais recicláveis de Campos. Só este ano, três reuniões já foram realizadas com integrantes do Fórum. Na oportunidade, estavam presentes representantes das cooperativas, do Movimento Nacional dos Catadores de Recicláveis (MNCR), Incubadora de Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP/Uenf) e Desenvolvimento Humano e Social.