Cirurgia de captação de órgãos é realizada pela primeira vez em SJB

Equipe do Programa Estadual de Transplantes esteve na Santa Casa, onde realizou o procedimento




30/11/2023, 11h16, Foto: Divulgação.


A solidariedade e amor ao próximo falaram mais alto em um momento de dor para uma família sanjoanense. Pela primeira vez, um procedimento de captação de órgãos foi realizado em São João da Barra, na sexta-feira, 24, na Santa Casa de Misericórdia. O fígado e os dois rins de uma paciente com morte encefálica confirmada foram captados pela equipe do Programa Estadual de Transplantes (PET). E vão ajudar a salvar pelo menos outras três vidas.(Leia mais abaixo)


A paciente, uma mulher de 56 anos, deu entrada na unidade hospitalar com um quadro de Acidente Vascular Cerebral (AVC) Isquêmico extenso. O protocolo de morte cerebral foi fechado nessa quarta-feira, 22, quando, após autorização da família, foi feito o contato com a equipe do PET, que marcou o procedimento para esta sexta.(Leia mais abaixo)


— Temos que agradecer muito a essa família, que neste momento de dor pensou em ajudar a outras. Nossa solidariedade à família neste momento de perda, e o agradecimento pela ajuda para amenizar outras pessoas que sofrem e estão na fila de espera — afirma a secretária municipal de Saúde, Arleny Valdés.(Leia mais abaixo)


A equipe, com dois cirurgiões (um urologista e outro do aparelho digestivo), chegou a SJB por volta das 11h, em veículo próprio do Programa Estadual de Transplantes. O procedimento terminou pouco antes das 16h. Um helicóptero do PET esteve em SJB para maior celeridade no transporte dos órgãos captados para a capital. Serão pelo menos três transplantes: do fígado, do rim direito e do rim esquerdo. No caso do fígado, se encontrar compatíveis na fila de espera, pode ser dividido para mais pessoas.(Leia mais abaixo)


Toda a coordenação junto ao Programa Estadual de Transplantes para o procedimento foi feita pela Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa, por meio do vice-provedor e coordenador da Unidade de Pacientes Graves (UPG), Diogo Novas, e o diretor-clínico do hospital, Murilo Macedo.