Orçamento: queda de braço na votação nesta terça

Votação será hoje e promete muita discussão




14/01/2020, 09h00, Foto: Campos 24 Horas.

O ponto de conflito entre vereadores de oposição mais grupo independente G-8 versus governo Rafael Diniz está dentro da Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2020, que será votada nesta terça-feira (14): o percentual de remanejamento e sua devida fiscalização. O problema é que o prefeito Rafael Diniz quer dos R$ 1 bilhão e 887 mil do orçamento, 30% para remanejamento, sem passar pelo Legislativo, ou seja, mais ou menos R$ 500 milhões para gastar com o que for necessário na sua opinião. Os vereadores, por sua vez, na primeira votação, no final de dezembro, reprovaram o projeto afirmando que só seriam remanejados 10%.


Em dezembro a LOA/2020 foi reprovada pela maioria dos vereadores com 13 votos contra e 11 a favor.  O projeto retornou à prefeitura para ajustes, mas este ponto de conflito, batizado pela maioria dos vereadores como “um cheque em branco”, não mudou. Rafael Diniz não baixou de 30% para 10% como ressaltaram os  vereadores de oposição e o G-8 há época.


A alegação dos vereadores para o problema é de falta de diálogo do Executivo com o Legislativo, segundo eles, criando assim dificuldade para a Câmara fiscalizar a forma de aplicação dos recursos municipais deste ano. Alguns deles afirmam que esta posição do governo é a prática da “velha política”.


SERÁ? - A maioria disse não na primeira votação do projeto, mas para a votação desta terça-feira não existe essa certeza, segundo alguns especialistas políticos. Há rumores, inclusive, de que estes vereadores estariam sendo “assediados” para mudar de posição e votar a favor do projeto em sua totalidade.


MUDOU? - Um dos integrantes do G-8, o vereador Jorginho Virgílio (Patri) lembrou na primeira votação em dezembro, que nos anos de governo Rosinha Garotinho, o então vereador de oposição Rafael Diniz também defendia a imposição do limite de 10% ao governo de Campos.


REPRESÁLIA? - As reuniões que antecedem à votação desta terça-feira podem ser estendidas até pouco antes do início da sessão. Às vésperas do Natal, Rafael Diniz exonerou pessoas ligadas a quatro vereadores do G-8 — Igor Pereira (PSB) apontado como líder do movimento, Marcelo Perfil (PHS), Ivan Machado (PTB) e Paulo Arantes (PSDB). Os outros que também compõem o G-8 são Enock Amaral (PHS), Joilza Rangel (PSD), Jorginho Virgílio e Luiz Alberto Neném (PTB).