Líder do governo responde a Raphael Thuin

Líder do governo responde ao vereador Raphael de Thuin sobre demissões na FME e esclarece porque Wladimir teve de adotar medidas de ajustes




21/06/2021, 14h47, Foto: Reprodução.

A semana começou quente na política de Campos. O “chororô” e as críticas do vereador Raphael Thuin (PTB) a respeito das demissões na Fundação do Esporte (FME) tiveram resposta imediata do líder da bancada governista na Câmara, Álvaro Oliveira (PSD). “Ele perdeu oportunidade de não dar esse tipo de declaração. Essas pessoas que estavam lá há quatro anos (se referindo aos contratados da FME demitidos), como ele mesmo disse. Se estavam lá esse tempo, compactuaram com tudo que não foi feito em Campos, com o que o governo anterior fez de ruim ou deixou de fazer pela população. Nós temos um lado, o lado da população, sobretudo os que mais precisam”, disse o vereador Álvaro Oliveira em contato por telefone com a redação do Campos 24 Horas nesta segunda-feira (21). O líder governista fez ainda esclarecimentos para população sobre o que chama de "erros da administração passada que extrapolou o limite de 54% com gastos com pessoal e, por consequência, a necessidade do prefeito Wladimir Garotinho (PSD) adotar medidas de ajustes em razão da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).  (leia mais abaixo) 


Oliveira ponderou que é algo natural a exoneração de pessoas indicadas por quem não compartilha com a visão do governo. “O ato de nomear ou exonerar é algo natural. É a visão de pessoas que não se afinam como o modo de pensar do novo governo, mas com o do governo que acabou e ajudou a destruir nossa cidade. Portanto, é mais do que natural desligamento dessas pessoas”, comentou. (Leia mais abaixo)


O líder governista destacou a necessidade de ajustes para corrigir os erros da administração passada que gastou demais com pessoal e hoje o município extrapolou o limite de 54% com a folha de pagamento. E analisou: “Estamos momento em que todos têm que se posicionar a favor população ou de determinados grupos. O que ocorreu foi que o novo governo é obrigado a fazer os ajustes necessários que o governo passado não fez para que o município de Campos volte a crescer e gerar empregos sem violar a Lei de Responsabilidade Fiscal. Agora é hora dessas pessoas decidirem de qual lado estão”.   (Leia mais abaixo)


Álvaro admitiu que os ajustes terão que ser feitos com ou sem a votação do pacote de medidas do governo.  “Os ajustes terão que ser feitos e vão sendo efetuados aos poucos. Agora, me causa estranheza que essas pessoas hoje se posicionam contra o pacote de ajustes, mas estiveram ao lado governo passado que foi uma catástrofe para Campos. Provavelmente eles continuam sem pensar no conjunto da população, mas nos interesses de determinados grupos”, concluiu.  (Leia mais abaixo)


THUIN- “Neste final semana todos os funcionários da FME foram demitidos porque eu voto contra a reforma tributaria. Considero um absurdo aumento de impostos durante uma pandemia e estou ao lado das entidades da classe empresarial”, declarou Raphael de Thuin.