Alunos da rede estadual não receberam chips para acesso à internet prometidos pelo Governo do RJ

Para alunos, dificuldades ficam ainda maiores a menos de um mês da volta prevista para as aulas, no dia 5 de outubro




15/09/2020, 17h00, Foto: Reprodução.

A Secretaria Estadual de Educação não cumpriu a promessa, feita em abril, durante a pandemia do coronavírus, de entregar 750 mil chips para alunos da rede estadual acompanharem as aulas pela internet no Rio de Janeiro. (leia mais abaixo)


Nenhum estudante recebeu o material até este mês. E até para requisitar o benefício é necessário ter internet em casa, algo que pelo menos 130 mil estudantes não possuem. A volta às aulas presenciais está marcada para 5 de outubro.


É o caso de Felipe Badeira, que diz que o processo para receber o chip na escola dele já começou errado:


"Você precisaria estar no grupo de whatsapp pra você receber o link da diretoria, pra você preencher um formulário novo, pra você pegar o chip. No caso, o chip seria enviado pra sua casa. Mas, pra você poder preencher o formulário, você precisa de internet, o que é uma coisa inviável", conta.


Luiz Otávio Burity, estudante do colégio Infante Dom Henrique, diz que a situação é mais complicada ainda para quem, como ele, precisa fazer o vestibular:


"O acesso à internet não é muito estável, né? E fica muito complicado para nós, estudantes, não ter essa assistência, não ter essa base por parte do estado, ainda mais para quem está em ano de vestibular."


Promessa não cumprida


O secretário de Educação, Pedro Fernandes, preso na última semana em operação do Ministério Público do Rio, prometeu em maio, já com atraso na entrega do material, que 140 mil chips seriam entregues no mesmo mês.


"Nós fizemos uma licitação para comprar mais de 750 mil chips, para todos os alunos e para os professores e profissionais que acessam a plataforma. Os primeiros 140 mil começam a chegar já esta semana", disse ele ao Globo Comunidade.


Para Ruan Vidal, presidente da Associação dos Estudantes Secundaristas do Rio, muitos alunos estão excluídos das aulas.


"Existia uma promessa, em março, para poder fazer com que todo mundo aceitasse o ensino remoto, as atividades remotas, on-line, que se daria chip para todos os estudantes. A realidade é que os chips não foram entregues".


O que diz a Secretaria


A Secretaria Estadual de Educação disse que, depois de abrir a concorrência para a compra dos chips, percebeu que o valor oferecido pelas empresas estava até quatro vezes maior que o de mercado. A secretaria declarou ainda que entregou material impresso para os alunos e criou canais para tirar dúvidas sobre este e outros assuntos.


Fonte: G1