Alerj desiste de alterar nome do Maracanã para homenagem a Pelé

Projeto havia sido encaminhado para sanção do governo estadual. MP-RJ e família do jornalista Mário Filho eram contra a mudança




07/04/2021, 10h04, Foto: Divulgação.

A Alerj (Assembleia Legislativa do Estado Rio de Janeiro) voltou atrás no projeto de lei que mudaria o nome do Estádio do Maracanã. A proposta havia sido aprovada no último dia 9 de março. No entanto, a presidência da Casa decidiu, nesta terça-feira (6), que vai recomendar ao governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, que vete a medida. (leia mais abaixo)


Sobre o motivo da desistência do projeto de lei, a assessoria da Alerj se limitou a dizer que os parlamentares vão se concentrar no trabalho de combate à covid-19". (leia mais abaixo)


 Elaborada pelo deputado e presidente da Alerj, André Ceciliano (PT) - em coautoria com os deputados Bebeto (Podemos), Marcio Pacheco (PSC), Eurico Junior (PV), Carlos Minc (PSB), Coronel Salema (PSD) e Alexandre Knoploch (PSL) - a proposta previa a alteração do nome jornalista Mário Filho para Edson Arantes do Nascimento - Rei Pelé. 


O projeto de lei gerou uma repercussão negativa entre os amantes do esporte e também críticas da família do jornalista homenageado. O repórter Mário Filho foi um dos idealizadores da construção do Maracanã para celebrar a Copa do Mundo de 1950 no país, e um dos grandes nomes do jornalismo esportivo brasileiro.


No mês passado, o MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) já havia recomendado a Cláudio Castro que vetasse o projeto por entender que o estádio do Maracanã "integra a identidade cultural carioca". De acordo com o promotor Rodrigo Terra, a mudança de nome poderia gerar "a violação do patrimônio imaterial dos torcedores-consumidores".


Fonte: R7/Agência Brasil