Advogado nega que Cid tenha gravado vídeo que embasou operação da PF contra Bolsonaro

A declaração do advogado foi dada durante entrevista concedida ao programa Estúdio i, da GloboNews, nesta sexta-feira (9)




10/02/2024, 09h01, Foto: Divulgação.


O advogado Cezar Bitencourt, que defende o ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o tenente-coronel Mauro Cid, negou que Cid tenha sido o responsável pela gravação do vídeo usado pela Polícia Federal (PF) como base para a operação da quinta-feira (8) contra Bolsonaro e aliados.(Leia mais abaixo)


A declaração do advogado foi dada durante entrevista concedida ao programa Estúdio i, da GloboNews, nesta sexta-feira (9).(Leia mais abaixo)


Na ocasião, o advogado foi questionado sobre a possibilidade de anulação da delação de Mauro Cid, uma vez que o vídeo da reunião entre o ex-presidente e seus ministros trariam “novas revelações”. Como a gravação do vídeo tem sido atribuída a Cid, isso poderia desqualificar sua delação, uma vez que ele, em tese, teria omitido informações referentes à reunião.(Leia mais abaixo)


Cezar Bitencourt disse que não há possibilidade de anulação da delação e afirmou que Cid teria compartilhado todas as informações que detinha. “A contribuição da delação dele está excelente. O resultado está aí”, disse o advogado depois de negar que a operação de ontem esteja relacionada ao depoimento de Cid.(Leia mais abaixo)


“Em relação à reunião de ontem, foi uma reunião do ex-presidente com a equipe dele, dando as ordens para fazer determinações e etc…”, completou o advogado ao destacar que Cid apenas cumpria ordens de Bolsonaro.(Leia mais abaixo)


Sobre a inclusão do nome de Cid em diferentes “núcleos” supostamente montados dentro do governo Bolsonaro, o advogado disse que Cid não tinha “essa capilaridade toda”.(Leia mais abaixo)


“Cid era apenas um secretário, cumpriu ordens e fez o papel dele”, disse Bitencourt.


Fonte: Gazeta do Povo