Pré-candidatos mais cotados a prefeito trocam farpas e PT defende Carla

Wladimir Garotinho, Caio Vianna, Carla Machado e Marquinho Bacellar se alfinetam. Coordenador do PT em Campos também entrou no jogo da sucessão




21/11/2023, 15h43, Fotomontagem: Campos 24Horas.


Postado por Fabiano Venancio - Os principais pré-candidatos a prefeito de Campos já trocam farpas, apesar da distância da eleição de outubro de 2024. Os atritos começaram após o fim da pacificação na Câmara de Vereadores e as cogitações em torno da pré-candidatura da deputada estadual Carla Machado (PT), que teria o apoio do grupo liderado pelo deputado estadual e presidente da Alerj, Rodrigo Bacellar (PL). Por outro lado, a aproximação entre o deputado federal Caio Vianna (PSD) e o prefeito Wladimir Garotinho (PP), como adiantou o Campos 24 Horas, só esquentou o clima da sucessão. Os grupos Bacellar e Garotinho logo trataram de alfinetar um ao outro. O prefeito inclusive chegou a desafiar o presidente da Câmara, Marquinho Bacellar (SD), irmão de Rodrigo, a vir como candidato. Já Caio levantou impedimentos legais que a possível candidatura de Carla pode enfrentar na Justiça Eleitoral. O PT também não deixou barato as críticas de Caio à Carla e entrou no jogo da sucessão. O coordenador de Comunicação do partido em Campos, Gilberto Gomes, gravou um vídeo no qual alvejou o parlamentar e saiu em defesa da deputada petista. Vale ressaltar que, a bordo de uma aliança com oito ou nove partidos, Wladimir exibe atualmente liderança folgada nas pesquisas. (Leia abaixo)


“Seria bom que o presidente da Câmara fosse candidato, torço muito por isso. Que ele venha e apresente suas propostas para a cidade. É melhor do que trazer gente de fora, importar candidaturas”, afirmou Wladimir, em alusão à deputada e ex-prefeita de São João da Barra e o também deputado Felipe Poubel (PL), que teve seu nome igualmente falado para postular a prefeitura de Campos. (Leia abaixo)


Na semana passada, o vereador Juninho Virgílio (União Brasil), vice-líder da bancada governista, também entrou na corrente e igualmente sugeriu a Marquinho vir como candidato a prefeito. (Leia abaixo)


“A deputada Carla Machada é minha amiga mas, com todo respeito, o senhor é quem deveria vir como candidato. De um lado o senhor, com suas propostas e, de um outro lado, o prefeito Wladimir Garotinho. Seria bom para Campos esse embate entre duas jovens lideranças. Muito melhor que candidaturas de fora do municipio”, afirmou Virgílio. (Leia abaixo)


MARQUINHO IRONIZA - Marquinho Bacellar então ironizou a sugestão de Juninho Virgílio. “Eu agradeço a campanha que o vereador faz por mim, mas não tenho interesse em ser candidato a prefeito, me sinto bem aqui na Câmara, onde estou aprendendo muito. Mas não sou de fugir, não. Se meu grupo político, numa grande reunião, decidir por maioria que eu devo ser o candidato, topo o desafio, assim como fiz quando foi indicado para ser vereador e depois presidente da Câmara”. (Leia abaixo)


Mais adiante, o presidente do Legislativo deu uma alfinetada em Caio Vianna. “Ele está sonhando em ser vice de Wladimir. Pode esquecer, Caio, porque Garotinho (Anthony, ex-governador e pai de Wladimir) não quer mais um Arnaldo Vianna em sua frente”. (Leia abaixo) 


Agora tudo leva a crer que o grupo Bacellar não irá ficar de fora do páreo sucessório, podendo inclusive lançar um candidato. Marquinho tem pontuado nas pesquisas, mas por enquanto a deputada Carla Machado tem a preferência dos Bacellar para a disputa direta com Wladimir. (Leia abaixo)


Também na última semana, na tribuna da Câmara Municipal, o vereador Fred Machado (Cidadania), irmão da ex-prefeita de São João da Barra, também se manifestou pela entrada de Carla no jogo da sucessão em Campos e elogiou a mana.  “Eu tenho me mantido isento e neutro nesta questão (da sucessão), mas se ela (Carla) vier fazer parte do nosso grupo como está sendo ventilado terá bastante a contribuir pois confio muito na capacidade dela”.   (Leia abaixo) 


CANDIDATURA DE CARLA SUB JUDICE - Carla Machado, porém, teria que superar problemas jurídicos que impediria sua candidatura à prefeitura num município vizinho, conforme entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por já ter sido prefeita em outras eleições em São João da Barra. O TSE se referiu à prática eleitoral que terminou denominando de “prefeito itinerante”. (Leia abaixo)


Assim, não seria mais possível o exercício de um terceiro mandato eletivo de prefeito, mesmo que pleiteie candidatura em municipalidade vizinha. Carla já movimentou sua assessoria jurídica para uma consulta ao TSE. (Leia abaixo)


PARTIDOS COM WLADIMIR - A bordo de uma aliança com nove partidos, Wladimir exibe liderança folgada nas pesquisas. Na semana passada, o prefeito se reuniu com Caio Vianna para anunciar emendas para diferentes áreas do município alocadas pelo parlamentar que segue como nome de maior peso eleitoral da oposição e segundo colocado nas pesquisas. (Leia abaixo)


Adversários ferrenhos na última eleição para a prefeitura, quando Wladimir venceu Caio em disputa apertada no segundo turno, os dois gravaram vídeos na semana passada quando o prefeito recebeu o deputado e ambos admitiram ter superado divergências e rusgas da campanha eleitoral para o bem de Campos. Resta saber se quando chegar a hora de uma definição em torno da sucessão, qual rumo Caio seguirá em 2024.   (Leia abaixo)     


POSIÇÃO DE CAIO - Mas um caminho já parece ter sido descartado por Caio, que tem desferido críticas a Carla Machado nas suas redes sociais. “Apenas tratei da sua situação jurídica. Afirmei que o TRF-2 condenou a senhora por irregularidade num contrato de mais R$ 27 milhões em sua gestão, o que a torna inelegível. Sobre seu mandato, São João da Barra tem ou não rede de água e esgoto como eu afirmei? A senhora com seu grupo administra há mais de 20 anos o município que detém a maior renda por habitante do Estado. Como a senhora quer ser candidata em Campos, se não resolveu os problemas de São João da Barra?”, indagou. (Leia abaixo)


PT DISPARA CONTRA CAIO - O PT não deixou barato as críticas de Caio Vianna a Carla Machado e entrou no jogo da sucessão neste domingo, quando o coordenador de Comunicação do partido, Gilberto Gomes, gravou um vídeo no qual alvejou o parlamentar e saiu em defesa da deputada petista. (Leia abaixo)


“É lamentável os ataques do Caio Vianna à deputada Carla Machado e mais ainda quando ele se coloca como alguém que tenta pautar a esquerda local. Quem é Caio como referência para dizer quem é ou não de esquerda em Campos? Ao mesmo tempo, me estranha posições assumidas por pessoas que até então se odiavam e agora estão unidas com o único objetivo de minar a candidatura do PT à prefeitura. Reforço que a candidatura do PT para 2024 vai ser a grande novidade nestas eleições em Campos”, disparou. (Leia abaixo)


Por fim o dirigente petista comparou o histórico da deputada ao parlamentar e afirmou que o PT tem alternativas para 2024. “Carla foi prefeita de São João da Barra três vezes, sempre com alto índices da aprovação. Seu histórico é infinitamente maior que o do Caio. O PT quer discutir a nossa cidade e tem alternativas para Campos, com a Carla e o professor Jéfferson Azevedo que inclusive já vinha recebendo críticas do próprio Wladimir”, concluiu Gilberto Gomes. (Leia abaixo)


Como se pode depreender, a menos de um ano das eleições municipais de 2024, a chapa esquentou e o jogo da sucessão já começou em Campos com uma história que promete novos capítulos.