Capitais brasileiras se dividem sobre festas de réveillon




30/11/2021 17:05:38.

Praticamente um mês antes da chegada do réveillon, as capitais brasileiras ainda se dividem sobre a realização de festas que possam causar aglomerações em época de pandemia da covid-19. A virada de ano mais esperada, no Rio de Janeiro, está mantida com aval divulgado hoje (29) pelo Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) do município do Rio de Janeiro.


A capital fluminense informou que a decisão foi embasada na melhora do cenário epidemiológico da cidade - evidenciada pela queda sustentada de casos, óbitos e outros indicadores de covid-19 há semanas.


Já a capital paulista informou que a festividade que, tradicionalmente, lota a Avenida Paulista está sendo planejada, mas que a realização do evento está condicionada ao quadro epidemiológico relativo e futuras decisões das autoridades de saúde pública e sanitárias.


Outras capitais descartaram os festejos. É o caso de Recife, que anunciou nesta terça (30) que não realizará os tradicionais shows de réveillon na orla do Pina e Boa Viagem. Para reduzir possíveis aglomerações, o prefeito garantiu a realização da queima de fogos na orla de Boa Viagem e também em outros bairros da cidade.


Salvador foi outro município que anunciou nesta segunda-feira (29) o cancelamento da festa devido ao surgimento da nova variante Ômicron e ao aumento de casos de covid-19 em países da Europa.


A prefeitura de Fortaleza decidiu não realizar festas públicas, mas autoriza os eventos de grande porte com capacidade até 2,5 mil pessoas em ambiente fechado e 5 mil em ambiente aberto.


João Pessoa já havia decretado, em novembro, o cancelamento das festas de rua em comemoração ao réveillon este ano. Apesar disso, a praia ficará liberada para os frequentadores, contanto que respeitem o uso de máscaras e o distanciamento social.“Ao lado do Governo do Estado, resolvemos que o poder público não pode estimular aglomerações. Festa de rua impede medidas de controle, como a identificação de vacinados e do uso de máscaras”, disse o prefeito.


Carnaval

Na noite desta segunda-feira (29), as principais capitais que promovem carnaval no país (Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Belo Horizonte) se reuniram pela primeira vez para discutir a realização da festa. Outros encontros técnicos devem seguir ocorrendo para a tomada de decisão.


De acordo com o prefeito de Salvador, Bruno Reis, ainda não há uma definição sobre o carnaval na cidade, decisão essa que será tomada em conjunto com o governo estadual, "considerando toda segurança e cautela necessária para o momento", disse.




Eleitos nas suplementares de Carapebus, prefeito e vice são diplomados na segunda (29)




29/11/2021 14:02:27.

O prefeito eleito Bernard Tavares (Republicanos) e o vice Marcelo Borges Martins, o Borginho (Cidadania), foram diplomados pelo Juízo da 255ª Zona Eleitoral nesta segunda-feira (29), no Fórum de Carapebus, no Norte Fluminense. A chapa vencedora obteve 5.293 votos (53,14% dos válidos) nas eleições suplementares realizadas no município em 7 de novembro.  


A Diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato eleito pelo povo possui uma situação que atende efetivamente às regras eleitorais vigentes para assumir o mandato eletivo. A solenidade de posse no cargo é uma atribuição do Poder Legislativo. O mandato dos eleitos vai até o dia 31 de dezembro de 2024.

Fonte: Ascom/TRE-RJ




Doria vence prévias do PSDB para disputa da Presidência em 2022




28/11/2021 09:09:30.

O governador de São Paulo, João Doria, venceu em primeiro turno neste sábado (27) as prévias do PSDB para escolher quem disputará pelo partido a Presidência da República na eleição do ano que vem. Ele obteve mais que a maioria dos votos (50% mais um) e superou nas prévias o governador Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto.


Com a vitória, Doria passa a ser o pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto. Uma convenção nacional do partido deve confirmar o nome do governador de São Paulo. A candidatura só será oficializada com o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O prazo para inscrição de candidaturas se encerra em agosto do próximo ano.


Esta foi a primeira vez que o partido recorreu à realização de prévias para escolher o pré-candidato à Presidência da República. Em razão de problemas no aplicativo de votação, as prévias iniciadas no último domingo tiveram de ser interrompidas durante quase uma semana e só foram concluídas neste sábado.


A disputa foi marcada por divergências entre os pré-candidatos, que dividiram posições dentro da legenda. Ao longo da pré-campanha, Doria e Leite trocaram farpas, e a demora para a conclusão da votação acabou agravando a crise entre os governadores.

Fonte: G1




Nova variante da covid-19 gera pânico nos mercados




27/11/2021 10:10:12.

A notícia de que uma nova e resistente variante do coronavírus começou a se espalhar pela Europa e pela Ásia assustou o mercado financeiro ontem e causou pânico em bolsas pelo mundo. Em meio à Black Friday, o otimismo que se via nos últimos dias na bolsa brasileira deu lugar à desconfiança, e o índice Ibovespa, que abriu no patamar dos 105 mil pontos, levou um tombo: caiu a 3,39% e chegou aos 102.224 pontos. (leia mais abaixo)


Entre investidores, impera o medo de que a ômicron — como é chamada a variante originada na África do Sul — cause novos fechamentos de comércio e fronteiras por tempo indeterminado, como ocorreu com a chegada do vírus ao Brasil, no ano passado, e na segunda onda, no início de 2021. O clima de incerteza atingiu o mercado internacional como um todo. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou em queda de 2,53%. Na Europa, o índice Euro Stoxx 50 caiu 4,74%. (leia mais abaixo)


Como a histeria foi geral, a moeda norte-americana não se valorizou fortemente com relação ao real. O dólar terminou o dia cotado a R$ 5,59 com alta de 0,55%. Na máxima do dia, chegou a R$ 5,66. Segundo Rodrigo Moliterno, analista da Veedha Investimentos, o que se viu no mercado foi um clima de "déjà vu" com relação à primeira onda do vírus em 2020: incertezas, instabilidade e desconhecimento foram as palavras do dia.


Ele pontuou que o medo de novas restrições em vários países penalizou, principalmente, ações de empresas aéreas e de turismo. "As notícias que saíram primeiro diziam que era uma cepa muito mais agressiva e tinha uma velocidade de contaminação alta. Essa é a notícia que temos até agora", disse. No cenário doméstico, a queda também foi acentuada para esse setor, que já enfrentava dificuldades com a greve dos aeroviários deflagrada esta semana.


"A gente vinha numa toada de recuperação. Com o avanço da PEC dos Precatórios, criaram-se-se expectativas, e, agora, nos deparamos com essa notícia. Precisamos entender a magnitude da nova cepa, e se as vacinas funcionam contra ela, ela", disse.


Impacto no PIB

Rafael Ribeiro, analista de investimentos da Clear Corretora, vê com preocupação a chegada de uma nova variante mais agressiva ao Brasil. "Levando somente em conta a realidade brasileira, uma nova paralisação da economia reduziria drasticamente a perspectiva de crescimento para os próximos anos, que já não é grande coisa, além de elevar as projeções de inflação", afirmou.


"Em termos de investimento em renda variável, uma nova variante com o potencial risco como essa aumenta muito o nível de aversão ao risco, ainda mais para o Brasil, que já está debilitado de perspectivas econômicas", complementou.


Com tamanha incerteza entre os investidores, não há consenso quanto ao comportamento do mercado nos próximos dias, já faltam informações precisas sobre a eficácia das atuais vacinas contra a omicron. Mas há quem acredite que é precipitado se desesperar agora.


Para Renan Silva, gestor da Bluemetrix Ativos, o momento é outro: já temos vacinas e um maior conhecimento sobre o vírus."Isso não se compara com fevereiro ou março de 2020. Naquele momento, o cenário era diferente, porque não havia perspectiva de vacinas, havia algo mais nebuloso e dúvidas quanto à velocidade da vacina. Agora, há uma solução, que é a vacina, há remédios novos que estão sendo testados, mas o investidor já traumatizado acaba reagindo de forma a evitar a bolsa e buscar ativos mais seguros", avaliou


"Pode ser precipitado sair vendendo ativos de forma atabalhoada e realizando prejuízos. Mesmo a bolsa tendo caído mais de 3%, não há comparação com o que ocorreu em março de 2020 quando o mercado abriu com circuit breakers e pânico estabelecido. O movimento, agora, é diferente", pontuou Silva.


Investidores exaustos

Com o vaivém de notícias sobre variantes do coronavírus, incertezas políticas e fiscais, há analistas que veem uma "exaustão" entre investidores, que sofreram na pandemia e tentam buscar retornos. É o que aponta Renan Silva. "As empresas consideram que a bolsa está muito atrativa, mas a reação depende de fluxos positivos. Então é necessário que as pessoas sintam segurança no ambiente político também", disse.


A incerteza já afetou os planos de empresas que planejavam lançar ações na bolsa. Para Vitória Saddi, sócia da SM Futures, é cedo para falar sobre fuga de capital com base nas notícias da nova variante, e há, ainda, muitas questões que precisam ser respondidas. Mas o medo de novos lockdowns tem tirado o sono dos investidores.


"As pessoas não estão conseguindo confirmar o que aconteceu, ainda não se sabe muito sobre a variante da África do Sul. O maior medo é que as restrições voltem com força total. Lá nos Estados Unidos, a economia vai bem, e voltar com lockdown é sinônimo de uma piora", disse. (leia mais abaixo)


"Se realmente essa variante se confirmar como uma ameaça grave, se alguém fechar — alguns países da Europa estão querendo fechar as fronteiras — e voltar o lockdown, acho que acaba tudo. A gente volta a julho de 2020. Mas todos estamos fartos disso, esperamos que as vacinas sejam eficazes contra essa cepa", concluiu.


Fonte: Correio Braziliense




Rascunho automático




27/11/2021 10:10:57.




Nova variante da covid-19 gera pânico nos mercados




27/11/2021 10:10:47.

A notícia de que uma nova e resistente variante do coronavírus começou a se espalhar pela Europa e pela Ásia assustou o mercado financeiro ontem e causou pânico em bolsas pelo mundo. Em meio à Black Friday, o otimismo que se via nos últimos dias na bolsa brasileira deu lugar à desconfiança, e o índice Ibovespa, que abriu no patamar dos 105 mil pontos, levou um tombo: caiu a 3,39% e chegou aos 102.224 pontos. (leia mais abaixo)


Entre investidores, impera o medo de que a ômicron — como é chamada a variante originada na África do Sul — cause novos fechamentos de comércio e fronteiras por tempo indeterminado, como ocorreu com a chegada do vírus ao Brasil, no ano passado, e na segunda onda, no início de 2021. O clima de incerteza atingiu o mercado internacional como um todo. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou em queda de 2,53%. Na Europa, o índice Euro Stoxx 50 caiu 4,74%. (leia mais abaixo)


Como a histeria foi geral, a moeda norte-americana não se valorizou fortemente com relação ao real. O dólar terminou o dia cotado a R$ 5,59 com alta de 0,55%. Na máxima do dia, chegou a R$ 5,66. Segundo Rodrigo Moliterno, analista da Veedha Investimentos, o que se viu no mercado foi um clima de "déjà vu" com relação à primeira onda do vírus em 2020: incertezas, instabilidade e desconhecimento foram as palavras do dia.


Ele pontuou que o medo de novas restrições em vários países penalizou, principalmente, ações de empresas aéreas e de turismo. "As notícias que saíram primeiro diziam que era uma cepa muito mais agressiva e tinha uma velocidade de contaminação alta. Essa é a notícia que temos até agora", disse. No cenário doméstico, a queda também foi acentuada para esse setor, que já enfrentava dificuldades com a greve dos aeroviários deflagrada esta semana.


"A gente vinha numa toada de recuperação. Com o avanço da PEC dos Precatórios, criaram-se-se expectativas, e, agora, nos deparamos com essa notícia. Precisamos entender a magnitude da nova cepa, e se as vacinas funcionam contra ela, ela", disse.


Impacto no PIB

Rafael Ribeiro, analista de investimentos da Clear Corretora, vê com preocupação a chegada de uma nova variante mais agressiva ao Brasil. "Levando somente em conta a realidade brasileira, uma nova paralisação da economia reduziria drasticamente a perspectiva de crescimento para os próximos anos, que já não é grande coisa, além de elevar as projeções de inflação", afirmou.


"Em termos de investimento em renda variável, uma nova variante com o potencial risco como essa aumenta muito o nível de aversão ao risco, ainda mais para o Brasil, que já está debilitado de perspectivas econômicas", complementou.


Com tamanha incerteza entre os investidores, não há consenso quanto ao comportamento do mercado nos próximos dias, já faltam informações precisas sobre a eficácia das atuais vacinas contra a omicron. Mas há quem acredite que é precipitado se desesperar agora.


Para Renan Silva, gestor da Bluemetrix Ativos, o momento é outro: já temos vacinas e um maior conhecimento sobre o vírus."Isso não se compara com fevereiro ou março de 2020. Naquele momento, o cenário era diferente, porque não havia perspectiva de vacinas, havia algo mais nebuloso e dúvidas quanto à velocidade da vacina. Agora, há uma solução, que é a vacina, há remédios novos que estão sendo testados, mas o investidor já traumatizado acaba reagindo de forma a evitar a bolsa e buscar ativos mais seguros", avaliou


"Pode ser precipitado sair vendendo ativos de forma atabalhoada e realizando prejuízos. Mesmo a bolsa tendo caído mais de 3%, não há comparação com o que ocorreu em março de 2020 quando o mercado abriu com circuit breakers e pânico estabelecido. O movimento, agora, é diferente", pontuou Silva.


Investidores exaustos

Com o vaivém de notícias sobre variantes do coronavírus, incertezas políticas e fiscais, há analistas que veem uma "exaustão" entre investidores, que sofreram na pandemia e tentam buscar retornos. É o que aponta Renan Silva. "As empresas consideram que a bolsa está muito atrativa, mas a reação depende de fluxos positivos. Então é necessário que as pessoas sintam segurança no ambiente político também", disse.


A incerteza já afetou os planos de empresas que planejavam lançar ações na bolsa. Para Vitória Saddi, sócia da SM Futures, é cedo para falar sobre fuga de capital com base nas notícias da nova variante, e há, ainda, muitas questões que precisam ser respondidas. Mas o medo de novos lockdowns tem tirado o sono dos investidores.


"As pessoas não estão conseguindo confirmar o que aconteceu, ainda não se sabe muito sobre a variante da África do Sul. O maior medo é que as restrições voltem com força total. Lá nos Estados Unidos, a economia vai bem, e voltar com lockdown é sinônimo de uma piora", disse. (leia mais abaixo)


"Se realmente essa variante se confirmar como uma ameaça grave, se alguém fechar — alguns países da Europa estão querendo fechar as fronteiras — e voltar o lockdown, acho que acaba tudo. A gente volta a julho de 2020. Mas todos estamos fartos disso, esperamos que as vacinas sejam eficazes contra essa cepa", concluiu.


Fonte: Correio Braziliense




Covid: Bolsonaro fala em 4ª onda, mas descarta fechar aeroportos




26/11/2021 15:03:58.

No momento em que países da Europa apertam restrições para conter o salto de casos do novo coronavírus, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta sexta-feira (26) que "está vindo uma outra onda de Covid". A apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, no entanto, o chefe do Executivo descartou a possibilidade de fechar aeroportos do Brasil para tentar reduzir o contágio da doença. (leia mais abaixo)


"Tem que aprender a conviver com o vírus", repetiu o presidente. (leia mais abaixo)


 "Não vai vedar, rapaz. Que loucura é essa? Fechou o aeroporto, o vírus não entra? Já está aqui dentro", disse Bolsonaro a um simpatizante ao ser questionado sobre a hipótese de restringir a entrada de estrangeiros no país. (leia mais abaixo)


O apoiador citou a quarta onda de Covid-19 na Europa, mas o presidente minimizou: "Você está vendo muita Globo". (leia mais abaixo)


A partir desta sexta-feira, o Reino Unido começa a impor barreiras aéreas contra a África do Sul e cinco países vizinhos depois que cientistas sul-africanos anunciaram a descoberta de uma nova cepa do coronavírus. (leia mais abaixo)


Na quinta-feira, Bolsonaro, depois de se contrapor sistematicamente a medidas sanitárias para conter a Covid-19, se disse contrário à realização do Carnaval em 2022. Capitais brasileiras mantêm sob dúvida a realização da festa em 2022. Entre as grandes cidades, só o Rio de Janeiro confirmou o Carnaval no ano que vem. (leia mais abaixo)


Bolsonaro conversou com apoiadores antes de embarcar para Guaratinguetá, em São Paulo, onde participa, no período da manhã, de cerimônia de conclusão do curso de formação de sargentos da Escola de Especialistas de Aeronáutica. À tarde, ele viaja para o Rio de Janeiro. Na capital fluminense, o presidente vai comparecer à cerimônia de formatura do 76º aniversário da Brigada de Infantaria Paraquedista.


*Fonte: R7




Bolsonaro diz que vai a debates em 2022, mas impõe condições




25/11/2021 08:08:03.

Ao contrário do que aconteceu em 2018, Jair Bolsonaro deve participar de eventuais debates marcados para as eleições presidenciais de 2022 – desde que sejam obedecidas algumas imposições. “É para falar do meu mandato. Até a minha vida particular fique à vontade, mas que não entrem em coisas de família, amigos, que não vai levar a lugar nenhum”, disse o presidente, em trecho de entrevista ao jornalista Luiz Ernesto Lacombe, da RedeTV. 


Lacombe já afirmou “ter afinidade de ideias” com o presidente, e recentemente entrevistou bolsonaristas conhecidos, como o empresário Luciano Hang, da Havan, e o ex-piloto Nelson Piquet. Ambos deram traço (audiência próxima de zero) no Ibope.


Na conversa com o jornalista, Bolsonaro disse ainda que negou o convite para o debate com Fernando Haddad (PT) no segundo turno das eleições de 2018 porque ainda se recuperava da facada que havia levado, em setembro daquele ano. Liberado pelos médicos, ele preferiu não participar, alegando desconforto.


“Agora eu pretendo participar. Não pude, na última (eleição), porque estava convalescendo ainda. Da minha parte não vai ter guerra, mas não posso aceitar provocação, coisas pessoais, porque daí você foge da finalidade de um bom debate”, afirmou o presidente, num dos pouco momentos em que não falou na terceira pessoa.

Fonte: Veja




PL anuncia filiação de Bolsonaro no próximo dia 30




24/11/2021 08:08:31.

A filiação do presidente Jair Bolsonaro ao Partido Liberal (PL) será oficializada no próximo dia 30 de novembro, às 10h30. O anúncio foi feito no final da tarde desta terça-feira (23), em nota divulgada pela assessoria do partido. (leia mais abaixo)


“A definição da data é produto de encontro que, na tarde de hoje, 23, reuniu o presidente da República e o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto”, informou a sigla. O evento ocorrerá em Brasília, no Complexo Brasil 21, região central da capital.  (leia mais abaixo)


Mais cedo, em entrevista a uma rádio da Paraíba, Bolsonaro havia dito que estava tudo "praticamente resolvido" entre ele e Costa Neto.  (leia mais abaixo)


A filiação de Bolsonaro ao PL deveria ter ocorrido no último dia 22, mas foi adiada de comum acordo entre as partes por causa de indefinições sobre a composição dos palanques estaduais nas eleições do ano que vem. A principal demanda de Bolsonaro é garantir uma candidatura própria do partido ao governo de São Paulo. No estado, no entanto, o PL se encaminhava para apoiar a candidatura do atual vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB). (leia mais abaixo)


Durante a tarde, o senador Wellington Fagundes (PL-MT), líder do partido no Senado, esteve no Palácio do Planalto e afirmou, após deixar o local, que o impasse em torno de uma candidatura própria do PL em São Paulo estaria resolvido.  (leia mais abaixo)


"São Paulo está totalmente encaminhado. Provavelmente a candidatura do ministro Tarcísio [Freitas] a governador", disse. Titular do Ministério da Infraestrutura e um dos auxiliares mais próximos de Bolsonaro, Tarcísio Freitas poderá ser o candidato do presidente ao governo em São Paulo.    

Fonte: Agência Brasil




Bolsonaro sobre Moro: Eu quero ver ele em cima do carro de som




23/11/2021 08:08:14.

Na noite desta segunda-feira (22/11), o presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores que quer ver o ex-juiz Sérgio Moro em campanha. O chefe do Executivo ainda ironizou as pesquisas eleitorais que mostram o magistrado disparando a intenção de voto.


"Ficou comigo um ano e pouco. Eu quero é ver ele em cima do carro de som falando com o povo. No passado, o eleitor que não tinha muito conhecimento, dizia que ia votar em quem ia ganhar. Então veio uma cultura onde se compra o instituto de pesquisa. O [instituto] que foi para o Moro agora foi criado em três dias e já deu 10% para ele. Deu tempo dos caras organizarem a equipe e andar o Brasil”, disse.


Bolsonaro ainda afirmou que “tem um encontro com a verdade” com a emissora Globo, nos debates do ano que vem. “Tem encontro com a verdade. Não vou perseguir ninguém. Tem que estar com as certidões em dia. É igual a parada matinal: tem que estar arrumadinho. Ela e qualquer outra empresa”, afirmou.

Fonte: Correio Braziliense




Rascunho automático




23/11/2021 07:07:41.




Rascunho automático




23/11/2021 07:07:38.




Mourão nega ter decidido que vai concorrer ao governo do RJ




22/11/2021 13:01:28.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, negou, nesta segunda (22), que tenha definido sua candidatura ao governo do estado do Rio de Janeiro nas eleições de 2022. No fim de semana, o nome de Mourão foi citado como possível concorrente ao cargo pelo PRTB, partido ao qual é filiado. O vice-presidente tem dito que só decidirá seu futuro na política em março do próximo ano. (leia mais abaixo)


“Eu não decidi nada. Quando eu decidir, eu vou comunicar e não serão terceiros que o farão. Não tem nada decidido ainda no momento. Se eu decidir que vou seguir na carreira política, vou informar e vou informar qual o cargo a que eu pretendo concorrer”, disse Mourão.(leia mais abaixo)


Ele tem dito que ainda não sabe se vai seguir como vice em uma chapa com o presidente Jair Bolsonaro, na corrida pela reeleição, se vai concorrer a outro cargo ou se vai não vai participar como candidato nas eleições de 2022. Mourão menciona que o Rio precisa de novos nomes e que costumam citá-lo como postulante ao governo do estado, mas que ele tem de avaliar a situação antes de definir seu futuro.(leia mais abaixo)


"O Rio de Janeiro tem uma certa carência de lideranças. Pessoal lançou meu nome, tudo bem, é mais um nome ali no liquidificador deste momento que a gente está vivendo. Você não pode ser picado pela mosca azul, você tem que manter os pezinhos no chão. Ainda mais na altura da vida em que eu me encontro, com quase 70 anos", destacou.(leia mais abaixo)


Candidato ao Senado?

Em setembro último, Mourão comentou o fato de Bolsonaro ter dito que ele seria um bom senador, mas também ter afirmado que ele não tem vivência política. "Estou satisfeito [com o que disse o presidente]", declarou. "Sei ser milico. Não sei ser político."(leia mais abaixo)


Mourão já chegou a dizer que definiria seu futuro na política até o fim deste ano, mas depois afirmou que ainda era cedo para cravar o cargo ao qual deve concorrer nas próximas eleições. "Tem tempo ainda, vamos com calma."(leia mais abaixo)


Na oportunidade, o vice-presidente também descartou uma eventual corrida ao governo do Rio de Janeiro. Ele afirmou que o estado tem um histórico que exige "uma equipe muito qualificada", "vigor e capacidade". Declarou: "É muito difícil. Eu sou velhinho. No ano que vem já vou fazer 69 anos. A carcaça pesa. O governo do Rio exige mais, não dá para afastar a espuma e ir entrando na água. Tem que mergulhar”.


*Fonte: R7




MEI pode ter descontos de até 30% na compra de carros 0 km




21/11/2021 06:06:14.

Apesar de muitos empreendedores não saberem, o MEI possui descontos que podem chegar até 30%, na aquisição de automóveis novos, ou seja, 0 km. Contudo, é necessário se atentar em alguns detalhes referentes às políticas das empresas montadoras, no que se refere a compra de carros com descontos. 


Neste sentido, o preço automóvel deve respeitar o teto  R$ 64 mil, valor equivalente a 80% do faturamento anual limite do microempreendedor individual (MEI), ou seja, carros acima deste preço não farão parte dos descontos. Além disso, há vendedoras que irão exigir um contrato social e a devida inscrição estadual do comprador. 


Ademais, o automóvel deve ser comprado pela pessoa jurídica, ou seja, no nome da empresa, além de ter que ficar na posse do carro por, ao menos, um ano. Caso todos os requisitos citados sejam cumpridos e todos os documentos e impostos do MEI estiverem regularizados, a aquisição com desconto será possível. 


 Os descontos tornaram-se uma possibilidade devido a redução nos custos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), mediante a venda direta para pessoa jurídica. 


 




 






Polícia Federal pede prisão de padre Robson ao STJ




19/11/2021 16:04:26.

A Polícia Federal enviou para o Superior Tribunal da Justiça (STJ) um pedido de prisão contra o padre Robson de Oliveira. O religioso era investigado por suspeita de desvio de dinheiro da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), em Trindade, na Região Metropolitana da capital, mas toda apuração foi suspensa por decisão judicial. O padre sempre negou irregularidades no comando da entidade.(leia mais abaixo)


A defesa do padre disse que os fatos usados para fazer o pedido são antigos e que não existe justificativa para a prisão. Além disso, foi feita uma representação contra a solicitação da Polícia Federal.(leia mais abaixo)


A Polícia Federal enviou para o Superior Tribunal da Justiça (STJ) um pedido de prisão contra o padre Robson de Oliveira. O religioso era investigado por suspeita de desvio de dinheiro da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), em Trindade, na Região Metropolitana da capital, mas toda apuração foi suspensa por decisão judicial. O padre sempre negou irregularidades no comando da entidade.


A defesa do padre disse que os fatos usados para fazer o pedido são antigos e que não existe justificativa para a prisão. Além disso, foi feita uma representação contra a solicitação da Polícia Federal.(leia mais abaixo)


Operação Vendilhões

A Operação Vendilhões surgiu após uma investigação que apurou uma série de extorsões feitas por hackers contra o padre para que um suposto relacionamento amoroso dele não fosse divulgado. Ao todo o padre pagou R$ 2,9 milhões com dinheiro da Associação dos Filhos do Divino Pai Eterno (Afipe) em troca do arquivamento das mídias.(leia mais abaixo)


Segundo a decisão do STJ, os dados dessa investigação foram compartilhados, tendo sido “ilegalmente utilizados pelo Ministério Público para iniciar a persecução”.(leia mais abaixo)Operação Vendilhões


O Ministério Publico cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao padre Robson em agosto de 2020. De acordo com as investigações, as associações criadas pelo religioso movimentaram cercar de R$ 2 bilhões em dez anos.(leia mais abaixo)


Os valores deveriam ter sido usados na construção da nova Basílica de Trindade. Porém, foram usados para outros fins, como a compra de imóveis e empresas, segundo os promotores. O templo segue em fase inicial da obra.(leia mais abaixo)


Em dezembro de 2020, padre Robson e outras 17 pessoas foram denunciadas por organização criminosa, apropriação indébita, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Porém, o processo foi bloqueado pela Justiça.


Fonte: G1




MPRJ: força-tarefa para fiscalizar o uso do dinheiro das concessões de saneamento




18/11/2021 13:01:23.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) instituiu uma força-tarefa (FT) para fiscalizar a destinação dos recursos obtidos a partir dos contratos de concessão celebrados pelo Estado e pelos Municípios na área de saneamento básico. A resolução foi assinada pelo procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, nesta quarta-feira (17/11).


Luciano Mattos considera que a necessária fiscalização do patrimônio público evita danos ao erário. “A força-tarefa que estamos criando vai dar suporte à atuação das Promotorias de Justiça para esse acompanhamento, que é muito complexo. O trabalho coletivo vai gerar maior eficácia e celeridade na atuação ministerial, buscando maior transparência na gestão desses recursos e para coibir a utilização indevida”, explicou o PGJ.


Uma das primeiras ações da força-tarefa será auxiliar os promotores na fiscalização do uso dos quase R$ 23 bilhões arrecadados pelo chamado "leilão da Cedae" (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro). A resolução que instituiu a FT lembra que a recente realização do leilão de lotes das concessões, em 30 de abril, foi o primeiro projeto de concessão dos serviços de saneamento básico após a edição do novo marco regulatório do saneamento básico no Brasil. Na resolução, o MPRJ menciona que é urgente o acompanhamento dos valores advindos dessa outorga.


A expectativa de duração da força-tarefa será de seis meses, prorrogável tantas vezes quanto necessárias. Sua atuação será a título de auxílio consentido aos promotores naturais com atribuição para tutela do patrimônio público.

Fonte: Ascom/MPRJ




PL dá carta branca para Valdemar Costa Neto acertar filiação com Bolsonaro




18/11/2021 09:09:03.

Os senadores Jorginho Mello (PL-SC) e Wellington Fagundes (PL-MT) anunciaram que o chefão do PL, Valdemar Costa Neto, tem carta branca para acertar os detalhes para a filiação do presidente Jair Bolsonaro.(leia mais abaixo)


Após discordâncias ocorridas na última semana, que adiou a oficialização da entrada do chefe do Executivo no partido, em evento marcado para o próximo dia 22, os senadores afirmaram à imprensa que a sigla está pacificada e que não haverá apoios pontuais a candidatos de esquerda.(leia mais abaixo)


Na questão estadual, Pernambuco, São Paulo e Piauí tinham divergências enquanto ao apoio a Bolsonaro. Em SP, por exemplo, estava fechado apoio a Rodrigo Garcia (PSDB), vice do governador João Doria (PSDB), um dos maiores rivais do presidente.(leia mais abaixo)


O acordo deve também encerrar tentativas de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por parte de Valdemar.


Fonte: Correio Braziliense




Doria janta com empresários e muda radicalmente discurso sobre Bolsonaro




17/11/2021 09:09:41.

O governador de São Paulo, João Doria, participou de um jantar com a elite empresarial paulistana na noite de quarta-feira, 10, para falar como andam as prévias do PSDB. Ele garantiu que não só vai ganhar do concorrente Eduardo Leite, como ainda vai fazer 75% dos votos. Mas o que chamou mesmo a atenção de alguns empresários presentes foi a mudança radical do discurso, visto nitidamente como um banho de marketing e comunicação.(leia mais abaixo)


Doria parou de choramingar sobre nunca ter traído Geraldo Alckmin ou  sobre como ama o filho de Bruno Covas. E mais surpreendente ainda é que agora também não xinga mais Bolsonaro. Não teve um “genocida” durante as cinco horas em que ficou no jantar promovido pela Esfera Brasil, um Think thank que reúne empresários. E também não fica mais horas falando sobre ser o pai da vacina da Covid. No lugar desse discurso, Doria passou a falar mais dos resultados de sua gestão. Reforça que o PIB de São Paulo cresceu 0,43% em 2020, enquanto o Brasil caía 4% e que, no ano que vem, terá um orçamento de 287 bilhões de reais sem depender do governo federal. Além disso, adotou de vez a linha de sua campanha eleitoral de que é chato, mas faz. O empresariado gostou da mudança.


Fonte: Veja




Alerj aprova fim da cobrança da Taxa de Incêndio




16/11/2021 19:07:06.

A Alerj aprovou, nesta terça (16), indicação legislativa da deputada Adriana Balthazar (Novo) que solicita ao Executivo o fim da cobrança da Taxa de Prevenção e Extinção de Incêndio no estado do Rio de Janeiro. Apoiada em decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF), que julgaram inconstitucional a cobrança da taxa, a proposta prevê alterações no Decreto-Lei nº 05, de 15 de março de 1975, que institui o Código Tributário Estadual. (leia mais abaixo)


Em agosto de 2020, ao julgar a norma em Minas Gerais, o STF considerou que o combate a incêndios é um serviço público geral e não pode ser exigido pagamento de taxa com esta finalidade. No ano anterior, a ministra Cármen Lúcia também manifestou o mesmo entendimento sobre a cobrança da taxa em Sergipe, alegando que a segurança pública é dever do Estado e que o combate a incêndio e realização de salvamentos são atividades específicas do Corpo de Bombeiros, não podendo ser custeados pela cobrança de taxas. (leia mais abaixo)


¨Não é justo pagarmos por um serviço que é dever do Estado. O Supremo foi claro sobre a inconstitucionalidade da cobrança da Taxa de Incêndio. Ela é mais uma prova de como a falta de transparência custa caro ao cidadão¨, ressaltou Adriana Balthazar.

Fonte: Ascom/Alerj




Alerj aprova fim da cobrança da Taxa de Incêndio




16/11/2021 19:07:41.

A Alerj aprovou, nesta terça (16/11), indicação legislativa da deputada Adriana Balthazar (Novo) que solicita ao Executivo o fim da cobrança da Taxa de Prevenção e Extinção de Incêndio no estado do Rio de Janeiro. Apoiada em decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF), que julgaram inconstitucional a cobrança da taxa, a proposta prevê alterações no Decreto-Lei nº 05, de 15 de março de 1975, que institui o Código Tributário Estadual. (leia mais abaixo)


Em agosto de 2020, ao julgar a norma em Minas Gerais, o STF considerou que o combate a incêndios é um serviço público geral e não pode ser exigido pagamento de taxa com esta finalidade. No ano anterior, a ministra Cármen Lúcia também manifestou o mesmo entendimento sobre a cobrança da taxa em Sergipe, alegando que a segurança pública é dever do Estado e que o combate a incêndio e realização de salvamentos são atividades específicas do Corpo de Bombeiros, não podendo ser custeados pela cobrança de taxas. (leia mais abaixo)


¨Não é justo pagarmos por um serviço que é dever do Estado. O Supremo foi claro sobre a inconstitucionalidade da cobrança da Taxa de Incêndio. Ela é mais uma prova de como a falta de transparência custa caro ao cidadão¨, ressaltou Adriana Balthazar.

Fonte: Ascom/Alerj