Bruno Dauaire: comida de qualidade para quem precisa

Secretário diz que não basta fornecer refeições. Pessoas carentes precisam de cuidados com o que comem




09/05/2021 12:12:46.

Num momento crítico por conta da pandemia do coronavírus, que agravou a fome entre as pessoas carentes, Campos passa a contar com o programa social do Restaurante do Povo, fruto da parceria da Prefeitura com o Estado. E ninguém melhor que o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bruno Dauaire, para explicar a atuação do governo Cláudio Castro na assistência aos mais vulneráveis. Em entrevista ao Campos 24 Horas, Bruno revela como é abrangente o trabalho de sua equipe. E que não basta fornecer as refeições. Vai além disso. (leia mais abaixo)


Segundo ele, há um olhar especial para a alimentação balanceada que as populações carentes, em um estado ainda maior de vulnerabilidade na pandemia, necessitam nesse momento, ou seja, as refeições devem ter qualidade e quantidade suficiente. Bruno comanda a pasta que tem os principais programas sociais, com um governador que enfatiza a todo momento que "o social é uma das principais bandeiras de seu governo". (Veja no vídeo abaixo)





Mais 7 vidas perdidas para Covid em Campos

Desde o início da pandemia o município registrou 28.890 casos confirmados de Covid-19 e 42.487 recuperados




09/05/2021 11:11:41.

O município de Campos divulgou neste sábado (08) mais 198 novos casos confirmados com base no registro do Sistema de Informação da Vigilância da Gripe (SIVEP-Gripe). Quanto ao número de mortes, foram registrados 07 óbitos nas últimas 24 horas. (leia mais abaixo)


Desde o início da pandemia o município registrou 28.890 casos confirmados de Covid-19 e 42.487 recuperados, que incluindo os recuperados com Síndrome Gripal testada positivo para Covid-19; recuperados de Síndrome Gripal não específica; e recuperados de Síndrome Aguda Grave positivos para Covid-19. (leia mais abaixo)


A Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (SUBPAV) informa que divulgação dos recuperados de SG e SRAG começou a ser feito partir da investigação e observação dos critérios do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde (SES). (leia mais abaixo)


O município está na Fase Vermelha, ou seja, nível 5 do Plano de Retomada das Atividades Econômicas e Sociais. (leia mais abaixo)


A orientação da Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde é que a população deve seguir as recomendações de distanciamento social, evitando ambientes com aglomerações, manter os cuidados de prevenção, como lavar bem as mãos, usar máscara e álcool 70%. (leia mais abaixo)


Boletim Coronavírus – 08/05/2021

Confirmados: 28.890

Síndrome Gripal (SG): 83.485

Número de internações com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): 3.905

Óbitos confirmados: 1.176

Recuperados SG Covid-19: 22.174

Recuperados SRAG: 1.021

Recuperados SG Não Especificada: 19.292

Total de recuperados: 42.487


Censo Diário de Ocupação de leitos neste sábado (08):

Ocupação da UTI- 85,39% na Rede SUS e Privada

Ocupação Clínica Médica- 90,30% na Rede SUS e Privada

Fila de espera leitos Covid- 01 paciente


Total de doses aplicadas até esta sexta-feira (07): 137.314

Primeira dose – 100.820

Segunda dose – 36.494




Ninguém acerta as 6 dezenas e Mega acumula em R$ 27 mi

Ninguém acertou as seis dezenas sorteadas neste sábado e o prêmio para o próximo concurso, que será realizado na próxima quarta-feira (12), acumulou




09/05/2021 11:11:30.

Nenhum apostador acertou as seis dezenas sorteadas neste sábado (8) pela Caixa no concurso 2.370 da Mega-Sena e, por isso, o prêmio que pode ser pago no sorteio da próxima quarta-feira (12) acumulou para R$ 27 milhões.  (leia mais abaixo)


Confira os números da Mega-Sena: 07-31-37-42-44-56 (leia mais abaixo)


De acordo com o banco responsável pelo sorteio, 29 apostadores acertaram cinco dezenas e, por isso, cada um receberá R$ 87.322,20.


Fonte: CNN




Foguete chinês retorna à Terra e cai próximo às Ilhas Maldivas

Maior parte do Long March 5B se desintegrou na reentrada; nenhum incidente foi causado




09/05/2021 11:11:19.

O foguete chinês que estava fora de controle e atraiu atenção mundial voltou neste sábado à atmosfera terrestre, segundo informações da agência espacial da China. Ainda de acordo com a agência, o foguete Long March 5B atingiu uma área no Oceano Índico, com as coordenadas de 72,47 graus de longitude leste e 2,65 graus de latitude norte - a oeste das Maldivas - e teve a maior parte destruída na reentrada. (leia mais abaixo)


O foguete, que originalmente pesava mais de 22 toneladas, foi lançado por uma estação espacial chinesa no dia 29 de abril. Depois que seu combustível foi gasto, ele foi deixado para voar pelo espaço, sem controle, até que a gravidade da Terra o arrastasse de volta.  (leia mais abaixo)


Geralmente, a comunidade espacial tenta evitar esses cenários. A maioria dos foguetes usados para erguer satélites e outros objetos no espaço conduzem reentradas mais controladas que miram o oceano, ou são deixados nas chamadas órbitas de "cemitério" que pode mantê-los no espaço por décadas ou séculos.  (leia mais abaixo)


O Long March, porém, foi projetado de uma forma que "deixa esses grandes estágios em órbita baixa", disse Jonathan McDowell, astrofísico do Centro de Astrofísica da Universidade de Harvard. Nesse caso, era impossível saber exatamente quando ou onde pousaria. (leia mais abaixo)


A Agência Espacial Europeia previu uma "zona de risco" que abrangia "qualquer porção da superfície da Terra entre cerca de latitude 41,5 N e 41,5 S" - que incluía praticamente todas as Américas ao sul de Nova York, toda a África e Austrália, partes da Ásia sul do Japão e Espanha, Portugal, Itália e Grécia na Europa. (leia mais abaixo)


A ameaça às áreas povoadas não era desprezível, mas felizmente a grande maioria da área da superfície da Terra é consumida pelos oceanos, então as chances de evitar um confronto catastrófico eram pequenas. (leia mais abaixo)


O foguete é um dos maiores objetos na história recente a atingir a Terra após cair fora de órbita. Antes dele, registra-se um incidente de 2018 no qual um pedaço de um laboratório espacial chinês se quebrou sobre o Oceano Pacífico. (leia mais abaixo)


Apesar dos esforços recentes para melhor regular e mitigar os detritos espaciais, a órbita da Terra está repleta de centenas de milhares de pedaços de lixo não controlado, a maioria dos quais com menos de 10 centímetros. (leia mais abaixo)


Os objetos estão constantemente caindo fora da órbita, embora a maioria dos pedaços queime na atmosfera da Terra antes de ter a chance de causar um impacto na superfície. Partes de objetos maiores, como o foguete Long March, porém, podem sobreviver à reentrada e ameaçar estruturas e pessoas no solo. (leia mais abaixo)


"As normas foram estabelecidas", disse McDowell. “Não há lei ou regra internacional - nada específico - mas a prática de países ao redor do mundo tem sido de conter os resíduos maiores. Não vamos deixar nosso lixo em órbita desta forma", diz.


Fonte: CNN




Vacinação de pessoas com comorbidades de 55 a 59 anos segue na segunda

A vacinação foi dividida por grupos e locais para imunização e será realizada sempre das 9h às 15h




09/05/2021 10:10:26.

A Secretaria Municipal de Saúde continua, nesta segunda-feira (10), a imunização de pessoas com comorbidades com idade entre 55 e 59 anos residentes no município. A vacinação foi dividida por grupos e locais para imunização conforme descrito abaixo, sempre das 9h às 15h. (leia mais abaixo)


As pessoas assistidas pela Estratégia Saúde da Família (ESF) serão vacinadas nas próprias Unidades Básica de Saúde da Família (UBSF) onde já fazem atendimento de rotina, independente da comorbidade. Para receber a vacina devem apresentar documento com foto, CPF e comprovante de residência. (leia mais abaixo)


Os assistidos nos programas Pé Diabético e Hiperdia com idade entre 55 e 59 anos serão vacinados na Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Além do documento com foto, CPF e comprovante de residência, também devem apresentar cartão de atendimento ou declaração do coordenador do programa. Já os do Programa de Assistência a Pacientes com Asma e Rinite (Proapar), também com idade entre 55 e 59 anos, devem apresentar junto com os documentos pessoais, algum receituário especifico do programa. (leia mais abaixo)


Ainda na Secretaria Municipal de Saúde serão vacinados os portadores de doenças autoimunes e colagenose do Hospital Álvaro Alvim, com idade entre 55 e 59 anos que além dos documentos pessoais devem apresentar o cartão de consulta do ambulatório. (leia mais abaixo)


Pacientes oncológicos com idade entre 55 e 59 anos que não estejam em quimioterapia ou radioterapia também serão vacinados. O local é a antiga AABB (Fundação Municipal de Esportes) e no drive thru do Boulevard Shopping. Para receber a vacina, estes pacientes devem apresentar documento com foto, CPF, comprovante de residência e o cartão das Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon).  (leia mais abaixo)


Já as pessoas com Anemia Falciforme e hemoglobinopatias, a vacina será aplicada no Instituto Federal Fluminense (IFF) de Guarus. Para esses dois grupos a idade mínima é de 18 anos. No local haverá uma listagem com os nomes dos pacientes que devem apresentar apenas documento com foto, CPF e comprovante de residência. (leia mais abaixo)


O portador de síndrome de down com idade acima de 18 anos deve comparecer em qualquer um dos postos de vacinação com documento com foto, CPF e comprovante de residência que será imunizado. (leia mais abaixo)


A vacina para gestantes de alto risco com idade acima de 18 anos acontecerá nos dois locais de atendimento desse púbico que são o ambulatório do Hospital Plantadores de Cana (HPC) e o Centro de Referência e Tratamento à Mulher (CRTA), situado na Rua Gil de Góis, nº 126, Centro.  Para receber a vacina deve comparecer a carteira de identidade, CPF e comprovante de residência. No caso das grávidas, o cartão pré-natal também deve ser apresentado. 


Para as pessoas com comorbidades atendidas na rede privada, com idade entre 55 e 59 anos será preciso apresentar o laudo, cujo modelo deve ser baixado no Portal da Prefeitura (AQUI), preenchido e carimbado pelo médico, junto com os documentos pessoais e comprovante de residência em um dos postos de vacinação.




Fabricação de vacina da Fiocruz totalmente no Brasil começa dia 15

Fundação utilizará ingrediente farmacêutico ativo produzido no país




09/05/2021 10:10:40.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deverá começar a fabricar a vacina da Oxford/AstraZeneca contra a covid-19 com o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) produzido no Brasil no dia 15 de maio. A previsão foi feita pelo vice-presidente da instituição, Mario Moreira, em entrevista coletiva do Ministério da Saúde, em Brasília, nesta sexta-feira (7). (leia mais abaixo)


De acordo com o dirigente, a fundação está em condições de produzir e obteve a certificação de boas práticas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas ainda há procedimentos de avaliação a serem realizados, além do processo do registro definitivo do imunizante. (leia mais abaixo)


“Vamos ter que produzir lotes de validação acertados com procedimentos internacionais e a partir daí a gente já começa a produzir em escala industrial. Os testes deverão aguardar o registro definitivo da Anvisa. A expectativa é que em outubro tenhamos a liberação para entregar estes lotes produzidos de maio em diante”, disse Moreira.(leia mais abaixo)


A produção com o IFA nacional é resultado de um acordo de transferência de tecnologia entre a Fiocruz e o consórcio formado pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca. Até o momento as doses produzidas dependem de IFA importado da China. (leia mais abaixo)


Falta de matéria-prima

A lentidão no envio dessas substâncias tem dificultado o andamento da imunização no Brasil. Na entrevista coletiva, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, foi perguntado sobre as ações para acelerar a liberação dos IFAs pela China diante do quadro da previsão do Instituto Butantan de cessar a produção da Coronavac na semana que vem pela falta da matéria-prima, anunciada pelo diretor da instituição, Dimas Covas. (leia mais abaixo)


“O governo federal trabalha sempre junto com Instituto Butantan. Estamos sempre junto com eles para monitorar o recebimento dos insumos. O ministro [Marcelo Queiroga] esteve presente hoje com o embaixador chinês [Yang Wanming]. Estamos sempre conversando quer com embaixada em Pequim ou com embaixador chinês no Brasil”, disse o secretário executivo. (leia mais abaixo)


Contudo, Cruz acrescentou que o Ministério da Saúde não tem ainda informações do governo chinês quanto ao envio de IFAs.(leia mais abaixo)


Balanço

O secretário executivo apresentou um balanço das vacinas contra a covid-19 adquiridas. Até o momento, haveriam 532,5 milhões de doses contratadas. Perguntado por jornalistas se todo este montante já teria garantia em contrato, Cruz respondeu que esse quantitativo estaria “pactuado”.(leia mais abaixo)


“Não dá para falar que vacina não está contratada. Ela está formalizada. Não há chance de não receber essas doses conforme previsão contratual. Existem doses que são contratadas diretamente pelo governo e outras que são entregues pela Fiocruz”, colocou.(leia mais abaixo)


De acordo com a previsão do governo federal, ainda há 20 milhões de doses da indiana Covaxin e mais 10 milhões da russa Sputnik V, mas os dois imunizantes tiveram as importações negadas pela Anvisa. No caso do imunizante russo, a direção da Anvisa afirmou que da forma como ele foi desenvolvido seria impossível a aprovação.(leia mais abaixo)


Balanço de vacinas pactuadas até 5 de maio:

- 12 milhões do Instituto Serum

- 210 milhões da Fiocruz e Oxford/AstraZeneca (100 milhões em processo de entrega e 110 milhões para entrega no 2º semestre, sendo 50 milhões de IFA importado e 60 milhões com IFA nacional)

- 130 milhões do Instituto Butantan (100 milhões já adquiridas e 30 milhões em processo final de formalização)

- 42,5 milhões de doses da Covax Facility

- 100 milhões de doses da Pfizer

- 38 milhões de doses da Janssen


Pendentes de aprovação pela Anvisa

- 20 milhões de doses da Covaxin

- 10 milhões de doses da Sputnik V


Fonte: Agência Brasil




Covid-19: Brasil registra 63,4 mil novos casos e 2,2 mil óbitos

Recuperados são 13,67 milhões – 90,3% do total




09/05/2021 09:09:04.

O Brasil registra, até o momento, 421.316 mortes por covid-19. Em 24 horas, foram confirmados 2.202 óbitos e 63.430 novos casos. No total, 15.145.879 casos foram diagnosticados no país. (leia mais abaixo)


O número de pessoas recuperadas totalizou 13.677.668 - 90,3% do total de infectados pelo novo coronavírus. (leia mais abaixo)


Ainda existem 3.706 mortes em investigação por equipes de saúde, dados relativos a ontem. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente. (leia mais abaixo)


Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado no fim da tarde de hoje (8). O balanço é elaborado a partir dos dados sobre casos e mortes levantados pelas autoridades locais de saúde. (leia mais abaixo)


O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (100.649), Rio de Janeiro (46.374) e Minas Gerais (35.750). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.546), Amapá (1.580) e Acre (1.585). (leia mais abaixo)


Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, com 2,9 milhões de casos. Minas Gerais, com 1,4 milhão, e Rio Grande do Sul, com pouco mais de 1 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de covid-19 é o Acre, com 79,2 mil, seguido por Roraima (98,1 mil) e Amapá (107,5 mil). (leia mais abaixo)


Vacinação

Até o início da noite de hoje, haviam sido distribuídas 77,9 milhões de doses de vacinas. Deste total, foram aplicadas 46,3 milhões de doses, sendo 31,3 milhões da 1ª dose e 14,9 milhões da 2ª dose. Os dados são do Ministério da Saúde.


Fonte: Agência Brasil




Governo anuncia distribuição de doses para a próxima segunda

Novo lote de vacinas AstraZeneca/Oxford será distribuído em todo país




09/05/2021 09:09:45.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (8) que o Ministério da Saúde enviará 3,9 milhões de vacinas AstraZeneca/Fiocruz para todos os estados e o Distrito Federal. A Região Norte receberá 281,4 mil doses, a Região Nordeste terá 984,1 mil doses e a Região Centro-Oeste receberá 294,1 mil doses. Já as regiões Sudeste e Sul receberão 1,79 milhão e 624,3 mil doses, respectivamente. O comunicado foi feito em redes sociais. Estado do Rio irá receberá 96 mil doses. (leia mais abaixo)


Além disso, o Ministério da Saúde distribuiu quase 1 milhão de vacinas da Coronavac/Butantan para uso apenas como segunda dose. A ideia é completar os esquemas vacinais de mais de 900 mil pessoas. As doses da Coronavac começaram a ser entregues nesta sexta-feira (7).


Fonte: Agência Brasil




Covid: CDIP aplica 2ª dose para assistidos a partir de segunda

Também seguirá com atendimento para 1ª dose vacina é para pessoas com idade acima de 50 anos, além das que vive com HIV, maiores de 18 anos, com CD4 menor que 350




09/05/2021 08:08:13.

O Centro de Doenças Infecto-Parasitárias (CDIP) estará aplicando, a partir desta segunda-feira (10), a 2ª dose da vacina contra a Covid-19 para portadores de hepatites virais e HIV atendidos pelo Centro e que estão no prazo para receber o reforço. Também seguirá com atendimento para 1ª dose vacina é para pessoas com idade acima de 50 anos, além das que vive com HIV, maiores de 18 anos, com CD4 menor que 350. (leia mais abaixo)


A vacinação acontece sempre de segunda à sexta-feira, das 10h às 16h. Para tomar a vacina, o assistido deve fazer contato com o CDIP, que fica na rua Conselheiro Otaviano, nº 241, Centro, ou pelo telefone (22) 98175-1647.  (leia mais abaixo)


“A vacinação é para usuários com HIV, maiores de 18 anos, estando com contagem de linfócitos T CD4 menor ou igual a 350 células/mm3, por serem imunossuprimidos e terem mais chances de desenvolver um quadro grave e chegar a óbito, caso tenha Covid-19, bem como os com HIV e hepatopatias crônicas, ambos com 50 anos ou mais”, explica a coordenadora de enfermagem do CDIP, Paula Alvarenga. (leia mais abaixo)


O usuário que vai tomar a 1ª dose deve apresentar documento com foto e comprovante de residência. Já os que irão tomar a 2ª dose, é necessário apresentar o comprovante da 1ª dose e documento com foto. (leia mais abaixo)


O Centro de Doenças Infecto-Parasitárias (CDIP) estará aplicando, a partir desta segunda-feira (10), a 2ª dose da vacina contra a Covid-19 para portadores de hepatites virais e HIV atendidos pelo Centro e que estão no prazo para receber o reforço. Também seguirá com atendimento para 1ª dose vacina é para pessoas com idade acima de 50 anos, além das que vive com HIV, maiores de 18 anos, com CD4 menor que 350. (leia mais abaixo)


A vacinação acontece sempre de segunda à sexta-feira, das 10h às 16h. Para tomar a vacina, o assistido deve fazer contato com o CDIP, que fica na rua Conselheiro Otaviano, nº 241, Centro, ou pelo telefone (22) 98175-1647.  (leia mais abaixo)


“A vacinação é para usuários com HIV, maiores de 18 anos, estando com contagem de linfócitos T CD4 menor ou igual a 350 células/mm3, por serem imunossuprimidos e terem mais chances de desenvolver um quadro grave e chegar a óbito, caso tenha Covid-19, bem como os com HIV e hepatopatias crônicas, ambos com 50 anos ou mais”, explica a coordenadora de enfermagem do CDIP, Paula Alvarenga. (leia mais abaixo)


O usuário que vai tomar a 1ª dose deve apresentar documento com foto e comprovante de residência. Já os que irão tomar a 2ª dose, é necessário apresentar o comprovante da 1ª dose e documento com foto.




Projeto utiliza as músicas preferidas de pacientes com demência

Experiência em cinco instituições australianas mostrou diminuição significativa de comportamentos agressivos




08/05/2021 23:11:52.

No mundo todo, o aumento do número de casos de demência pressiona especialistas com uma questão que se torna cada vez mais relevante: como garantir o bem-estar físico e emocional de pacientes e cuidadores? Na Austrália, um programa parece oferecer algumas respostas. Realizado pela Flinders University em cinco instituições de longa permanência, o projeto piloto criou seleções musicais personalizadas para os residentes, ou seja, cada um podia apreciar as músicas de sua preferência. (leia mais abaixo)


O estudo integra a iniciativa “Harmony in the bush”, com duração prevista de dois anos, cujo objetivo é identificar elementos não farmacológicos que tragam bem-estar aos doentes. Esse tipo de intervenção, amparada na arte e centrada no indivíduo, resultou em menos sintomas psicológicos e comportamentos disfuncionais entre os pacientes; e num nível menor de estresse por parte dos cuidadores. Na Austrália, entre 60% e 70% dos idosos vivendo em instituições têm demência. Desse contingente, entre 70% e 90% apresentam algum tipo de sintoma psiquiátrico. A música melhorou sua disposição, estimulou a memória e teve um efeito tranquilizador. (leia mais abaixo)


De acordo com o doutor Vivian Isaac, especialista em epidemiologia psicossocial e autor sênior de artigo publicado na “BMC Geriatrics”, pelo menos um terço dos residentes exibia um quadro depressivo de leve a severo antes da experiência: “o modelo é eficaz. Houve queda significativa de comportamentos agressivos e agitação dos pacientes, o que, por tabela, diminui o estresse dos cuidadores”. Os pesquisadores também constataram uma redução de uso de medicamentos psicotrópicos em relação aos meses anteriores ao projeto.


Fonte: G1




Covid-19: casos leves também impactam a saúde mental, diz estudo

Segundo o estudo, muitas pessoas estão sob risco de sofrer com problemas de saúde mental pós-Covid-19




08/05/2021 23:11:51.

Um nível significativo de sintomas de depressão, ansiedade e estresse pós-traumático pode surgir após a contaminação pela Covid-19 independente de qualquer diagnóstico psiquiátrico anterior. É o que aponta uma nova pesquisa feita pela Universidade de Columbia (Estados Unidos) em parceria com cientistas da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. (leia mais abaixo)


Segundo o estudo, uma maior exposição a níveis sintomáticos de Covid-19 pode estar associada a sintomas psiquiátricos após a fase aguda da doença. Esta é a maior pesquisa feita para avaliar depressão, ansiedade e estresse pós-traumático em pacientes com um quadro leve da infecção. (leia mais abaixo)


Os resultados obtidos são importantes, já que a maioria das pessoas contaminadas pela doença são classificadas como casos leves e enfrentam longos períodos de isolamento social. Além disso, é provável que o aumento da prevalência de sintomas psiquiátricos pós-Covid-19 seja consequência de todo o contexto psicológico da doença e que, portanto, pacientes devem ser acompanhados de perto após vencerem o vírus. (leia mais abaixo)


As descobertas foram publicadas no Progress in Neuro-Psychopharmacology and Biological Psychiatry e alertam sobre uma parcela significativa da população sob risco de sofrer com problemas relacionados à saúde mental.  


Taxas elevadas preocupam


Para realizar a pesquisa, cotonetes nasais foram coletados de residentes com 18 anos ou mais com sintomas suspeitos de Covid-19. Aqueles que testaram positivo – e com, pelo menos, dois dos seguintes sintomas: febre, tosse, dor de garganta, perda de olfato – foram classificados como casos leves. Todos os participantes ainda foram avaliados sobre a presença de sintomas psiquiátricos aproximadamente dois meses depois. 


Os dados mostraram níveis significativos de sintomas depressivos (26%), de ansiedade (22%) e de estresse pós-traumático (17%) dos pacientes. Para se ter uma ideia, as estimativas anteriores de níveis de estresse pós-traumático no Brasil eram de 8,5%, o que demonstra que a prevalência de indivíduos com quadro leve de Covid-19 aumentou em relação às estimativas passadas. 


Consequência da pandemia?


Em geral, sobreviventes de doenças críticas têm um alto nível de sintomas mentais após apresentarem melhora da condição. Depressão, ansiedade e transtorno pós-traumático estão entre os eventos psiquiátricos mais relatados entre pacientes nessas situações.


De acordo com os pesquisadores, a pandemia de Covid-19 interrompeu a vida de muitos em diversas partes do mundo, resultando em um aumento das consequências para a saúde física e mental. 


Para os autores, a intervenção precoce em saúde mental, seja com psicoterapia ou grupos de apoio, pode desempenhar um papel importante na prevenção de problemas de saúde mental em pacientes já recuperados da Covid-19. Enquanto isso, alertam que os sistemas de saúde devem se preparar para um fluxo alto de indivíduos que sofrem com problemas de saúde mental como resultado da pandemia. 


Fonte: Dr. Jairo Bouer




Corrida de rua: veja qual máscara usar durante o exercício e outras dicas

Médicos especializados na área esportiva explicam como começar, manter e melhorar o desempenho com segurança, incluindo o item de proteção contra a Covid-19




08/05/2021 23:11:44.

"O que eu mais escuto das pessoas é: eu caminho, caminho, caminho, mas quando eu tento correr vejo que eu não sirvo pra isso, eu não aguento nem 5 minutos". Pablius Staduto Braga, médico do esporte do Hospital 9 de Julho, diz que essa é a frase mais comum das pessoas que já desistiram da prática. A boa notícia é que, na maioria das vezes, o fôlego curto está relacionado à falta de direcionamento do que fazer. (leia mais abaixo)


O começo


Exames: É jogar com a sorte tentar correr sem saber como está o condicionamento físico. Marcar um cardiologista precisa ser o primeiro passo, até porque o médico dirá se a corrida é uma forma viável para determinado paciente se exercitar. Pessoas com problemas cardíacos, diabetes, colesterol desregulado, entre outros, têm restrições e podem se arriscar se começarem a correr sem fazer um checkup antes. (leia mais abaixo)


"A primeira coisa é uma boa avaliação médica. Para ver a capacidade, a aptidão física, ou algum problema de saúde que possa ter decorrido de um período mais parado, sedentário" - Pablius Staduto Braga, médico do esporte. (leia mais abaixo)


Aceitar o diagnóstico: Mesmo que a pessoa já tenha corrido maratonas, o ritmo e as recomendações médicas devem ser respeitadas. No caso de uma pessoa que nunca correu, o médico naturalmente recomendará um início gradativo e iniciante. Também é comum que ex-corredores fiquem por um tempo sem treinar e, depois, decidirem "voltar com tudo".


"O ex-corredor pode ficar muito ligado a fevereiro do ano passado. Sem a pandemia, ele tinha os tempos, a dinâmica dele e, de repente, é muito tempo parado, mesmo que tenha treinado dentro de casa, a dinâmica ficou diferente da corrida de rua. Não tem mais o contato com rua, não tem mais a busca do objetivo e resultado com mais gente por perto. Tem que recomeçar", explicou Braga.


A estratégia para continuar


Ir atrás da sua planilha: O futuro corredor passou no teste ergométrico e no ecocardiograma. Não tem nenhuma doença secundária. É hora de não desanimar.


A melhor estratégia, de acordo com os especialistas, é montar uma planilha com os treinos semanais que seja plausível. E isso é uma coisa que precisa da ajuda de um profissional, de um treinador. O acompanhamento semanal é fundamental, segundo Gustavo Magliocca, médico do esporte e Chefe do Departamento Médico da Sociedade Esportiva Palmeiras.


Magliocca reconhece que a opção de um personal trainer é elitizada, com preço acessível para poucos. Ele diz que uma alternativa, mesmo que não seja gratuita, é tentar encontrar uma assessoria esportiva, uma empresa capaz de desenhar o melhor treino de corrida.


Já para os iniciantes, Braga diz que a melhor opção é fazer uma planilha de treino intervalado: "eu classificaria os períodos de corrida dentro de uma caminhada como o melhor caminho para quem quem começar a correr". Ele sugere começar a caminhar por uma hora e, dentro do período, colocar 4 ou 5 corridas de 1 minuto.


Garantias contra percalços: O foco deve ser em conseguir manter a frequência dos exercícios propostos e, segundo os dois especialistas, há alguns problemas comuns que podem acabar desmotivando logo no início.


O exercício exaustivo, aquele em que a pessoa começa na primeira tentativa a correr sem parar, não funciona. O corredor fica cansado depois em 4, 5 minutos e com a sensação de que nunca vai conseguir manter o fôlego. Por isso, é importante seguir a planilha de exercícios.


Além disso, a frequência de três treinos por semana é considerada a ideal - só assim é possível ir ganhando força aos poucos. Braga pede para não passar mais de 1 hora caminhando e correndo, porque o exercício pode ser tão cansativo a ponto de atrapalhar a agenda dos próximos treinos.


A dor não pode ser subestimada. É normal sentir um pouco de dor depois de um esforço, mas ela precisa passar nos próximos dois dias. Se não aliviar, é melhor conversar com o treinador ou médico para evitar uma lesão e ter, depois, que começar tudo de novo.


O mesmo vale para o lugar escolhido na corrida. Magliocca pede que a pessoa escolha um trajeto conhecido para evitar a chance de queda. Os parques ainda são a opção mais segura, mas, na pandemia, às vezes a solução é improvisar mesmo nas ruas perto de casa. Informar o treinador sobre o trajeto é fundamental - qualquer mudança pode causar um desgaste do corpo.


Por fim, não esquecer da regra que vale para manter a motivação em qualquer área da vida: comer e dormir bem.


Ainda melhor


Escolha do tênis: o que você calça é uma ferramenta que pode facilitar ou dificultar a corrida. Magliocca diz que o momento da escolha do tênis é como comprar um carro: o melhor, mas que caiba no bolso. Opções baratas podem garantir as características que os médicos consideram essenciais:



  1. Cabedal (parte que sustenta o calcanhar) mais estruturado, mais firme

  2. Um bom amortecedor para a corrida

  3. Relação equilibrada entre retro pé e médio pé: não ficar alto demais ou baixo demais

  4. Prefira provar o tênis na loja para observar as características e o conforto


A máscara: a corrida na rua precisa de máscara contra o coronavírus. Os dois especialistas dizem que a queixa do desconforto é genuína, mas precisa ser superada. Para Magliocca, a melhor máscara é aquela que o corredor consegue se adaptar sem deixar "cair no queixo".


Braga afirma que chegou a pesquisar as melhores máscaras para esportistas em estudos científicos, mas que os resultados ainda são muito preliminares. Disse, ainda, que está otimista com as descobertas que devem ocorrer na Olimpíada do Japão, marcada para 23 de julho.


O médico do esporte explica que a N95, apesar de muito eficiente, é espessa para os corredores, causa uma sensação de desconforto. Por outro lado, a máscara cirúrgica é uma opção, mas molha com facilidade com o suor. Por isso, na hora de escolher, as dicas básicas são:



  1. A máscara deve cobrir o nariz e a boca com firmeza, com garantia de que não vai cair durante o treino

  2. As máscaras que não são ajustáveis, principalmente nas alças, não são boas para o esporte, acabam incomodando ainda mais

  3. Escolha uma máscara com estrutura mais firme, que evite que o tecido fique indo e voltando com a respiração

  4. Os modelos mais armados, mas com o tecido não tão espesso, podem ser uma solução segura. Importante observar quando o material ficar molhado e trocar.


Fonte: G1




Produtividade aumenta entre profissionais em home office, mas bem-estar está em queda, diz pesquisa

Pesquisa aponta que o senso positivo de produtividade nem sempre está alinhado à percepção de equilíbrio e bem-estar do colaborador




08/05/2021 23:11:23.

Passado mais de um ano do início das restrições por conta da pandemia, pesquisa mostra que houve aumento na percepção de que a produtividade no home office é maior que no trabalho presencial, mas profissionais apontam dificuldades no bem-estar e no equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. (leia mais abaixo)


Mais de 58% dos respondentes afirmaram ser mais produtivos ou significativamente mais produtivos em home office. Na primeira pesquisa, realizada em 2020, esse índice ficou em torno de 44%. Considerando somente a opção “significativamente mais produtivo”, as mulheres tiveram uma proporção de respostas de 29,1%, contra 18,1% entre os homens. (leia mais abaixo)


A pesquisa foi feita pela Fundação Dom Cabral em parceria com a Grant Thornton e a Em Lyon Business School com 1.075 respondentes, no período de 15 a 29 de março. (leia mais abaixo)


Entre profissionais em postos de gerência ou liderança, apenas 13% das respostas apontam para patamares menores ou significativamente menores de produtividade no trabalho remoto. Entre profissionais de nível hierárquico mais elevado, essa proporção atingiu 22,4%.


Com relação aos desafios do trabalho remoto, a pesquisa revela que o senso positivo de produtividade nem sempre está alinhado à percepção de equilíbrio e bem-estar do colaborador. Entre as opções oferecidas aos pesquisados para identificar os principais obstáculos do home office, as que mais se destacaram foram:


A pesquisa buscou saber ainda quais os receios quanto à continuidade do trabalho remoto. Para 20,6% o maior deles é a perda de convívio social, seguida de maior carga de trabalho no modelo remoto (15,5%) e piora de comportamento por ausência de convívio (13,5%).



  • maior volume de horas trabalhadas, apontado por 24%

  • dificuldade de relacionamento, apontada por 16%

  • dificuldade de comunicação, apontada por 16%

  • equilíbrio com demandas pessoais, apontado por 14%


Ou seja, teme-se pela continuação de uma carga de trabalho elevada que cause ou reflita a dificuldade de equilibrar vida pessoal e profissional. Além disso, a continuidade da situação que impõe o trabalho remoto faz com que a perda do convívio e seus consequentes prejuízos perdure.


Pandemia traz esgotamento


De acordo com Fabian Salum, professor da Fundação Dom Cabral, na primeira edição da pesquisa, no início da pandemia em 2020, os entrevistados percebiam a experiência do trabalho remoto como positiva, mas já existia uma preocupação em relação à administração das tarefas de trabalho e das de ordem pessoal, tanto do ponto de vista organizacional quanto de relacionamento com as pessoas.


“Depois de um ano, constatamos a concretização de alguns receios e como a percepção sobre o aumento da produtividade no trabalho remoto mostra seu custo, quando o assunto é equilíbrio e bem-estar. Os comentários dos respondentes apontam para um esgotamento mental que envolve tanto a situação crítica própria da pandemia quanto os desafios mencionados. Por isso, não podemos nos deixar seduzir pela alta produtividade. Faz-se necessários ajustes nos três níveis: organização, equipes e indivíduos”, diz.


Para Ronaldo Loyola, sócio da área de Capital Humano, da Grant Thornton Brasil, a pesquisa traz informações importantes sobre quais pontos devem passar a ser foco de atenção nas relações de trabalho a partir de agora, principalmente por parte das lideranças empresariais.


"A experiência acumulada ao longo de um ano de trabalho remoto por conta da pandemia, com todo o processo de mudança ao qual a cultura organizacional foi submetida, precisa ser canalizada para a preservação do bem-estar na gestão do capital humano, a fim de manter o engajamento das pessoas com relação aos resultados da organização”, avalia.


A maior parte dos respondentes (87,3%) iniciou suas atividades de trabalho remoto como medida de contenção da disseminação da Covid-19. O perfil dos respondentes se caracteriza pela localização predominante na região Sudeste do país, especialmente em São Paulo (48,3%) e Minas Gerais (16,8%). Enquanto a edição de 2020 teve 18 estados representados, a edição de 2021 contou com a participação de respondentes de 23 estados brasileiros. As capitais representaram cerca de 75% do total de respostas válidas.


Fonte: G1




Ter um parceiro com doença cardíaca pode dobrar o risco para o outro

O estado de saúde e os fatores de risco das mulheres parecem afetar os homens em maior medida




08/05/2021 23:11:03.

Pessoas que vivem com um cônjuge com doença cardíaca têm mais que o dobro de chances de desenvolver o mesmo problema, de acordo com um novo estudo chinês apresentado na 70ª Sessão Científica Anual do American College of Cardiology. (leia mais abaixo)


Os pesquisadores envolvidos entrevistaram mais de 5.000 casais heterossexuais acima dos 45 anos e habitantes de sete regiões da China entre os anos de 2014 e 2016. Todos os participantes forneceram informações sobre o seu histórico de saúde e de seu (a) parceiro (a), incluindo detalhes sobre fatores de risco, como índice de massa corporal (IMC), pressão arterial, estilo de vida, prática de atividade física, tabagismo, uso de álcool e aspectos socioeconômicos. (leia mais abaixo)


Além disso, também foi definido um histórico referente a doenças cardiovasculares, como: ataques cardíacos, acidente vascular cerebral (AVC), intervenção coronária percutânea ou enxerto de bypass da artéria coronária, sendo esses dois últimos procedimentos para abrir ou contornar artérias bloqueadas. (leia mais abaixo)


Segundo a pesquisa, os resultados mostram que o risco de doenças cardiovasculares de uma pessoa está diretamente associada ao estado de saúde e estilo de vida de sua esposa ou marido.


Além de compartilhar o estilo de vida e o ambiente socioeconômico, os dados sugerem que o estresse de cuidar de um cônjuge cardíaco também pode contribuir para o aumento do risco cardiovascular. 


Mais atenção aos cuidadores


Como as informações foram coletadas de diversas regiões da China, representando uma ampla gama de origens econômicas e culturais, a equipe acredita que os resultados são, provavelmente, semelhantes às tendências de outros países de renda média ao redor do mundo. 


Para os autores, a pesquisa alerta sobre a necessidade de cuidados preventivos a parceiros e parceiras de pessoas com doenças cardiovasculares. Nessa questão, eles defendem o monitoramento da saúde desses cuidadores, bem como a disponibilidade de assistência já na atenção primária do sistema de saúde.


Homens são mais afetados 


De acordo com as descobertas, a relação entre histórico de doença cardíaca e o próprio risco de desenvolvê-la foi especialmente observada em homens. Dentre os homens cujas esposas tinham doenças cardíacas, 20% apresentavam problemas cardiovasculares - contra 12,8% daqueles casados com mulheres não cardíacas. 


A probilidade do homem apresentar um problema cardiovascular era maior se sua esposa tivesse um histórico de derrame, obesidade ou tabagismo. De acordo com os pesquisadores, o papel relevante das mulheres na determinação da dieta de uma família pode ajudar a explicar o fato observado. 


Já entre as mulheres cujos maridos tinham doenças cardíacas, 21% apresentaram problemas cardiovasculares contra apenas 9% das mulheres com maridos não cardíacos. Nesses casos, as chances da mulher desenvolver alguma doença cardiovascular era maior se seu marido tivesse um histórico de derrame. 


Segundo os autores, o estado de saúde e os fatores de risco das mulheres, que são as condutoras do estilo de vida na maioria das famílias, parecem afetar os homens em maior medida do que o contrário. 


O estudo ainda examinou as tendências do diabetes, mas descobriu que ter um cônjuge diabético não aumenta significativamente o risco do outro também desenvolver a doença. Esse achado pode indicar que fatores genéticos e histórico familiar são dominantes para o risco de diabetes. 


Fonte: Dr. Jairo Bouer




Dois homens são assassinados em Campos

Crimes aconteceram no parque Santa Rosa e em Martins Lage




08/05/2021 22:10:14.

Atualizada em 09/05 às 09h36 - Dois homens foram assassinados nas últimas horas em Campos. O primeiro homicídio aconteceu no fim da tarde deste sábado (8), no Parque Santa Rosa. O outro foi registrado em Martins Lage.


De acordo com a polícia, a vítima do primeiro crime  - que ocorreu na rua Jorge Gastão - foi identificada apenas como 'Vinicinho'.


O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, mas chegando ao local, a vítima já estava sem vida. (leia mais abaixo)


O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) e o crime registrado na 146ª DP/Guarus. Não houve prisão de suspeitos.


Já na localidade de Martins Lage, a vítima foi identificada pelas iniciais E.N.P., de 28 anos.


Ainda não há informações sobre autoria e motivação dos crimes.


 




Codemca e 8º BPM: segurança na Rodoviária Roberto Silveira

O comandante do 8º BPM, tenente coronal Gustavo Pinheiro, declarou que o órgão está buscando garantir ainda mais a segurança de toda sociedade e informa aos cidadãos que podem contar com a Polícia Militar




08/05/2021 12:12:04.

A Companhia de Desenvolvimento Municipal (Codemca) e o 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM) realizaram, nesta semana, uma reunião de alinhamento com o objetivo de traçar estratégias para garantir a sensação de segurança dos usuários que transitam na Rodoviária Roberto Silveira, na área central do município. (leia mais abaixo)


O presidente da Codemca, Afranio dos Santos Junior, destaca a importância da união entre o município e o estado. “O nosso objetivo é cuidar dos cidadãos. É uma das preocupações de qualquer estado a garantia da segurança da população e a segurança da rodoviária não foge à regra”, destacou Afranio. (leia mais abaixo)


O tenente coronel Gustavo Pinheiro declarou que o órgão está buscando garantir ainda mais a segurança de toda sociedade e informa aos cidadãos que podem contar com a Polícia Militar.




Desenvolvimento Econômico se reúne com donos de restaurantes

Empresários do setor de gastronomia agradeceram pelas últimas flexibilizações, que permitiram o funcionamento de restaurantes em sistema de buffet, onde o funcionário serve aos clientes




08/05/2021 12:12:57.

Dando continuidade ao diálogo entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo e o setor produtivo, o secretário da pasta, Marcelo Mérida, recebeu novamente representantes do segmento de gastronomia nesta sexta-feira (07). Eles agradeceram pelas últimas flexibilizações, que permitiram o funcionamento de restaurantes em sistema de buffet, onde o funcionário serve aos clientes. Agora, estão na expectativa pelo decreto da próxima semana. A demanda será levada pelo secretário ao Gabinete de Crise Covid-19, que se reunirá na próxima segunda-feira (10), às 9h.  (leia mais abaixo)


“Estamos dando sequência ao diálogo com os setores produtivos e os encontros têm sido muito produtivos porque, além de reconhecermos a importância destes setores para a economia do município, estamos sempre abertos a ouvir sugestões. Em relação aos novos pleitos, sempre encaminhamos ao Gabinete de Crise”, explica Marcelo Mérida. (leia mais abaixo)


Quando entrou na fase vermelha, o município teve que cumprir uma série de restrições em cumprimento ao decreto e, aos poucos, medidas de flexibilização foram tomadas pelo governo municipal, permitindo que os serviços fossem retomados de forma gradativa. Uma das solicitações da categoria, neste momento, é que os restaurantes possam voltar a oferecer a modalidade de serviço self-service, com os consumidores utilizando luvas descartáveis para se servir.  (leia mais abaixo)


“As reuniões têm sido maravilhosas porque estão contribuindo para que nosso setor seja ouvido e, assim, podermos avançar de forma segura no plano de retomada das atividades econômicas”, disse o empresário Carlos Alberto Barreto Júnior, que possui um restaurante japonês.




Limpeza Pública neste sábado no trevo da UPA e em Travessão

Nesta semana, equipes da limpeza estiveram na Avenida Presidente Vargas e na sede da Fundação Municipal do Esporte, realizando serviços de capina, varrição, poda de árvores e roçada




08/05/2021 12:12:35.

Equipe da Subsecretaria de Limpeza Pública, Praças e Jardins está neste sábado (08) no trevo próximo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Outras equipes estão atuando na limpeza da Avenida São Fidélis, na Pecuária, e no distrito de Travessão. (leia mais abaixo)


Nesta semana, equipes da limpeza estiveram na Avenida Presidente Vargas e na sede da Fundação Municipal do Esporte, realizando serviços de capina, varrição, poda de árvores e roçada, além do distrito de Travessão, em um mutirão que teve início na última semana. (leia mais abaixo)


A pasta continua realizando serviços de retirada de entulhos e lixos em pontos críticos do município, locais onde há constante colocação de lixo. A subsecretaria disponibiliza o número do disque denúncias da Subsecretaria de Postura - (22) 98168-3645 - para que a população possa colaborar e evitar que a cidade fique suja.




Posto de atendimento para emissão de IPTU na Rodoviária do Centro

O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h na Rodoviária Roberto Silveira




08/05/2021 12:12:52.

Para facilitar o acesso dos contribuintes aos boletos do carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a Prefeitura de Campos, através das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Turismo e de Fazenda, mantém em funcionamento um quiosque na Rodoviária Roberto Silveira, no Centro, para atendimento à população. O espaço funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h. Nele, os contribuintes podem solicitar a impressão do boleto para pagamento. (leia mais abaixo)


Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Marcelo Mérida, a medida foi implantada em março e foi suspensa temporariamente durante o período de maior restrição no município. “Essa é uma ação conjunta da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo e da Secretaria de Fazenda. Através deste espaço, estamos oferecendo uma prestação de serviço para facilitar o acesso da população ao carnê do IPTU impresso”, explicou o secretário. (leia mais abaixo)


No período que antecedeu o pagamento do imposto em cota única, muitos contribuintes buscaram o serviço para garantir o desconto e a média de atendimentos, por dia, era de aproximadamente 100 contribuintes. No mês de março, foram 1.500 atendimentos. O serviço ainda está disponível para quem optou pelo parcelamento. Se o contribuinte tiver a cópia do boleto do ano passado, o atendimento é agilizado. “É importante ter a inscrição do imóvel e podendo também ter em mãos o endereço, número e CEP. Se o contribuinte tiver a cópia do ano passado ou o espelho do documento, torna o processo ainda mais rápido”, complementa Mérida.




CCZ continua mapeando densidade populacional do Aedes aegypti

Entre os bairros testados na última semana, a localidade de Santa Cruz foi o que teve maior índice populacional registrado, 83%




08/05/2021 12:12:05.

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) continua mapeando a densidade populacional do mosquito Aedes aegypti, causador da Dengue, Zika e Chikungunya, através de armadilhas (ovitrampas georeferenciadas). Entre sete bairros testados na última semana, a localidade de Santa Cruz apresentou um maior índice populacional, com 83% . (leia mais abaixo)


Nesta primeira semana de maio, as armadilhas foram instaladas em residências do Parque Dom Bosco, Parque Tamandaré, Parque São Caetano, e nas localidades de Espinho e Beira do Taí. A previsão é que na próxima semana sejam instaladas em Donana, São José e Goytacazes. (leia mais abaixo)


De acordo com o subcoordenador de controle de vetores do CCZ, Sílvio Pinheiro, o objetivo é realizar o monitoramento populacional do Aedes aegypti, através da quantidade de ovos encontrados nas armadilhas, que são inseminadas e retiradas entre cinco e sete dias. (leia mais abaixo)


A partir deste monitoramento, o CCZ pode concentrar as ações de combate em áreas detectadas com maior índice de infestação do vetor. “Em uma paleta recolhida de um imóvel em Santa Cruz, estava com um total de 357 ovos, sendo um número muito alto, já que o Aedes aegypti deposita uma quantidade pequena de ovos por criadouros”, explica Pinheiro.




Mapa de Risco Covid: estado do Rio está em bandeira laranja

A análise compara a semana epidemiológica 16 (18 a 24 de abril) com a 14 (4 a 10 de abril) de 2021




08/05/2021 12:12:59.

A 29ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira pela  Secretaria de Estado de Saúde, mostra que o Estado do Rio de Janeiro está com bandeira laranja (risco moderado de contrair a doença), mantendo o mesmo cenário epidemiológico da semana passada. As regiões Metropolitana I, Baía da Ilha Grande, Serrana e Noroeste permanecem com bandeira vermelha. Centro-Sul, Metropolitana II, Litorânea, Norte e Médio Paraíba seguem na laranja. A análise compara a semana epidemiológica 16 (18 a 24 de abril) com a 14 (4 a 10 de abril) de 2021. (leia mais abaixo)


Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). (leia mais abaixo)


O Estado do Rio de Janeiro apresentou uma redução de 31% no número de óbitos e as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caíram 32% na comparação entre as semanas epidemiológicas analisadas. As taxas de ocupação de leitos no estado, nesta sexta-feira (07), são 85,6% para leitos de UTI e 61% para leitos de enfermaria. (leia mais abaixo)


Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada região. (leia mais abaixo)


Nova variante do vírus no Rio - O estudo que investiga as modificações sofridas pelo SARS-CoV-2 confirma que há uma nova variante do vírus da Covid-19 em circulação no Estado do Rio de Janeiro. A cepa recebeu o nome de P.1.2, por se tratar de uma mutação ocorrida na linhagem P1, que permanece em maior frequência (91,49%). A P.1.2 foi identificada em 5,85% das 376 amostras submetidas à segunda etapa do sequenciamento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) em parceria com o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ, do Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (Lacen), da Fiocruz e da Secretaria Municipal de Saúde do Rio. Também foram identificadas, em menores proporções, as linhagens B.1.1.7 (2,13%) e P2 (0,53%). Até o momento, não se pode avaliar se a nova variante é mais transmissível e/ou letal. Nesta etapa, foram investigadas 376 amostras, de 57 municípios, selecionadas a partir de genomas enviados ao Lacen/RJ, entre os dias 24 de março e 16 de abril. A ação é financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), com recurso de R$1,2 milhão. (leia mais abaixo)


Nota Técnica

Painel de Indicadores




Balanço da Covid em Campos: 1.169 vidas perdidas e mais de 100 mil vacinados

Números constam no último boletim oficial




08/05/2021 12:12:01.

O município de Campos registrou, até este sábado (08/05), um total de 1.169 vidas perdidas para a Covid e mais de 100 mil pessoas que tomaram a primeira dose da vacina contra a doença. Veja ao final desta reportagem um balanço completo dos números no município, conforme boletim oficial divulgado pela prefeitura nas últimas horas. (leia mais abaixo)


Desde o início da pandemia o município registrou 28.692 casos confirmados de Covid-19 e 42.486 recuperados, que incluindo os recuperados com Síndrome Gripal testada positivo para Covid-19; recuperados de Síndrome Gripal não específica; e recuperados de Síndrome Aguda Grave positivos para Covid-19. (leia mais abaixo)


A Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (SUBPAV) informa que divulgação dos recuperados de SG e SRAG começou a ser feito partir da investigação e observação dos critérios do Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde (SES).


O município está na Fase Vermelha, ou seja, nível 5 do Plano de Retomada das Atividades Econômicas e Sociais. (leia mais abaixo)


A orientação da Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde é que a população deve seguir as recomendações de distanciamento social, evitando ambientes com aglomerações, manter os cuidados de prevenção, como lavar bem as mãos, usar máscara e álcool 70%. (leia mais abaixo)


Boletim Coronavírus – 07/05/2021

Confirmados: 28.692

Síndrome Gripal (SG): 83.283

Número de internações com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): 3.885

Óbitos confirmados: 1.169

Recuperados SG Covid-19: 22.173

Recuperados SRAG: 1.021

Recuperados SG Não Especificada: 19.292

Total de recuperados: 42.486

Censo Diário de Ocupação de leitos nesta sexta-feira (07):

Ocupação da UTI- 86,36% na Rede SUS e Privada

Ocupação Clínica Médica- 90,91% na Rede SUS e Privada

Fila de espera leitos Covid- 05 pacientes, sendo 01 de outro município


Total de doses aplicadas até esta sexta-feira (07): 137.314

Primeira dose – 100.820

Segunda dose – 36.494




Campos recebe novo lote de vacinas Coronavac e AstraZeneca

Secretaria de Estado de Saúde realiza entrega de 427.200 doses de vacina aos 92 municípios do estado




08/05/2021 10:10:36.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realiza mais uma entrega de vacina contra Covid-19 aos 92 municípios do estado. A distribuição de 427.200 doses, sendo 331.200 de Oxford/AstraZeneca e 96 mil de CoronaVac, começou na última quinta-feira (06), seguiu nesta sexta (07) e será finalizada na segunda-feira (10).  (leia mais abaixo)


O imunizante da Oxford/AstraZeneca  é destinado à segunda dose de trabalhadores da saúde, pessoas de 65 a 69 anos e de 85 a 89 anos, povos e comunidades tradicionais quilombolas. Quanto às doses de CoronaVac, todas são para segunda aplicação de pessoas com 60 a 64 anos, forças de segurança e salvamento e armadas e trabalhadores da saúde.  (leia mais abaixo)


O município do Rio de Janeiro retirou parte do seu lote na quinta (06) e deve retirar o restante ainda nesta sexta (07) na Coordenação Geral de Armazenagem (CGA), em Niterói. São Gonçalo, Maricá e Niterói retiraram parte de suas doses nesta sexta-feira (07) e o restante será retirado no sábado (08), também na CGA.  (leia mais abaixo)


Na segunda-feira (10), será realizada a entrega terrestre para 17 municípios das regiões Metropolitanas I e II. Já para os outros 71 municípios, a distribuição será também na segunda (10), mas por aeronaves. Os helicópteros partem às 7h do Grupamento Aeromóvel da PM, em Niterói.  (leia mais abaixo)


- Vamos continuar mantendo o esquema logístico de entrega da vacina que está sendo realizado desde o início da vacinação. Todos os municípios recebem o imunizante com a mesma celeridade – destacou o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.  (leia mais abaixo)


A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) enviou, nesta quarta-feira (05), ofício aos 92 municípios para que informassem o total de doses de segunda aplicação da vacina CoronaVac que estavam pendentes. A planilha foi encaminhada ao Ministério da Saúde, solicitando reposição dessas doses.  (leia mais abaixo)


Em reunião com a direção do Conselho de Secretários Municipais (Cosems), ficou definido que as doses de CoronaVac que chegaram ao estado serão enviadas aos municípios que informaram déficit. Dessa forma, os imunizantes foram distribuídos de forma equânime e percentual, de acordo com o total informado por cada Secretaria municipal de Saúde. (leia mais abaixo)


Desde o início da campanha de vacinação contra Covid-19, a SES vem seguindo todas as orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde. Todos os lotes que chegam aos estados vêm com orientação do grupo a que se destina. A Secretaria repassa rigorosamente essas orientações às Secretarias Municipais de Saúde.  (leia mais abaixo)


Doses aplicadas - Até as 9h desta sexta-feira (07), o estado registrava 2.450.422 de pessoas vacinadas com a primeira dose e 1.117.998 com a segunda. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/






Campos sedia Encontro de Gestores de Assistência Social

No encontro foram debatidas várias ações que beneficiarão famílias em situação de vulnerabilidade social de Campos e dos demais municípios do estado




08/05/2021 10:10:40.

Representantes de municípios da Região Norte Fluminense participaram na tarde desta sexta-feira (07/05) do Encontro de Gestores de Assistência Social. O secretário Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, Rodrigo Carvalho, recepcionou o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Bruno Dauaire. O encontro aconteceu no auditório da prefeitura. (leia mais abaixo)


Ambos os secretários anunciaram novas parcerias, como o Café do Trabalhador e o RJ Alimenta em Guarus nos próximos meses. “Quero agradecer, em nome do Prefeito Wladimir Garotinho, o cuidado do governador Claudio Castro e do secretário Bruno Dauaire. Quem ganha é o povo de Campos com essa parceria que só está começando”, disse Rodrigo Carvalho. (leia mais abaixo)


Na oportunidade, o secretário de Estado apresentou aos representantes dos municípios as ações que serão desenvolvidas nos próximos meses e que fortalecerão o atendimento ao povo do interior. “Vamos fazer um grande trabalho para ampliar as ações no interior. É um momento importante, tanto para os gestores municipais quanto para nossa secretaria”, explicou Bruno Dauaire, que anunciou, ainda, a distribuição do cartão do Supera Rio nas próximas semanas para as famílias em situação de vulnerabilidade social. (leia mais abaixo)


Ao lado da subsecretária do Sistema Único de Assistência Social, Dianne Arrais, e da superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiza Trabuco, Bruno Dauaire informou a operacionalização de pagamento dos débitos dos governos anteriores e anunciou a ampliação dos serviços do Centro Comunitário de Defesa da Cidadania (CCDC) para diversas cidades do estado. “Vai ser um marco importância a população está sentindo falta desses equipamentos próximos”, disse o secretário. (leia mais abaixo)


Participaram do encontro representantes dos municípios de Carapebus, São Francisco de Itabapoana, Quissamã, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu e São Fidelis.




Inscrições para capacitação de inspetores e acompanhantes de alunos

Trata-se do projeto “Inclusão se faz com conhecimento” da Educação Especial Inclusiva, ligada à Coordenação Multiprofissional




08/05/2021 10:10:40.

A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia vai realizar capacitação virtual para inspetores e acompanhantes de alunos entre os dias 18 de maio e 8 de junho. Trata-se do projeto “Inclusão se faz com conhecimento” da Educação Especial Inclusiva, ligada à Coordenação Multiprofissional. A coordenadora do setor, Adriana Lima, falou sobre a proposta: (leia mais abaixo)


 ‘O objetivo é abordar assuntos como escola inclusiva; conceito das deficiências: sensorial, física e intelectual; transtornos, superdotação/ altas habilidades; e como agir em situações específicas que envolvem os alunos”, afirmou. (leia mais abaixo)


De acordo com a diretora da Educação Especial, Beatriz Cruz, os encontros acontecerão sempre às terças-feiras, pelo Google Meet, nos dias 18 e 25 de maio, e 01 e 08 de junho, em dois turnos: 8h30 às 10h e 13h30 às 15h. “As inscrições devem ser feitas até dia 15 de maio pelo email educacao.especial@edu.campos.rj.gov.br. Os interessados devem enviar os seguintes dados: nome completo, cargo, matrícula e telefone”, disse Beatriz.