25/01/2022, 12h33, Foto: Campos 24 Horas

Em publicação no final de 2021, o Campos 24 Horas destacou que, apesar do cenário financeiro caótico após o governo Diniz, o prefeito Wladimir Garotinho (PSD) cumpriu um bom mandato na gestão das finanças em seu primeiro ano de mandato. Todavia, há outros grandes desafios em 2022. E os principais deles são: transporte público e reajuste de servidores. A respeito do transporte de passageiros, milhares de pessoas que usam o transporte público, principalmente as que moram em localidades e bairros mais distantes, são as mais afetadas. E logo nas primeiras semanas do ano, o campista vê que o Campos 24 Horas estava certo ao apontar o transporte de passageiros como novo desafio a ser enfrentado pelo governo Wladimir em 2022. Nesta segunda-feira (24/01), houve duas manifestações de permissionários de vans (Aqui). Já sobre os servidores da prefeitura, a situação também é complexa. São seis anos sem reajuste. O Siprosep, sindicato da categoria, defende reajuste imediato e afirma que houve aumento das receitas da prefeitura. Mas o prefeito contrapõe a afirmação. (Veja detalhes abaixo)


Vale lembrar que Wladimir assumiu a prefeitura de Campos quando sobravam dívidas, incluindo o pagamento de dezembro e uma parte do 13º salário de 2020 dos servidores, e faltava dinheiro em caixa. Outro ponto positivo a se destacar foi a sintonia entre Wladimir e o governador Cláudio Castro e os recursos obtidos através de emendas parlamentares,. Com isso, outros setores receberam benefícios como saúde e estradas. Mas, agora, há situações desafiadoras pela frente (leia mais abaixo).


Os servidores municipais estão há seis anos sem reajuste de salários. E o transporte público acumula problemas na disputa entre as empresas de ônibus e cooperativas de vans. Na disputa por linhas de maior demanda de passageiros, os dois setores acabam prestando serviço deficiente especialmente nos distritos e localidades mais distantes do Centro.  (leia mais abaixo) 


Além da concorrência com as vans, os empresários do setor de transporte reclamam da defasagem no preço da tarifa e do custo operacional das empresas. Entre os insumos de maior índice de majoração está o óleo diesel que sofreu aumento de mais de 50% durante os últimos 12 meses. (leia mais abaixo)


A respeito dos servidores, o Siprosep (sindicato da categoria), vem ‘batendo na tecla’ que a prefeitura conta com a elevação das receitas e já tem folga de caixa este ano para conceder reajuste salarial. Mas o prefeito contrapõe a afirmação, ao reiterar que o governo tem restrições para uso de recursos, especialmente dos royalties, para pagamento do funcionalismo. (leia mais abaixo)


Mesmo com o bônus extra de R$ 2 mil pago no início do mês, os servidores têm manifestado descontentamento com o grande período de sem reajuste, prenúncio de outros embates em 2022.   (leia mais abaixo)


NOTA DA PREFEITUIRA - "O Instituto Municipal de Trânsito e Transporte está cumprindo a determinação judicial que deu exclusividade à empresa Rogil e ao Consórcio Planície em suas áreas de atuação para operação. O instituto está tentando pactuar e reformular dentro do sistema. O presidente do IMTT, Nelson Godá, acrescenta que a decisão judicial não se questiona, se cumpre. Ele lamenta que os permissionários estejam sendo afetados, e assegura que as empresas estão sendo cobradas pela regularidade de prestação de serviço. Hoje mesmo foram publicadas no Diário Oficial notificações encaminhadas às empresas por descumprimento das regras de atendimento à população. O IMTT continua trabalhando para assegurar que a população não fique sem atendimento."


 

 

Entre para nosso
Grupo WhatsApp

Fique sempre bem informado sobre as últimas notícias!