29/06/2022, 00h52, Foto: reprodução/Campos 24 Horas

A agricultura e as ações do governo Wladimir Garotinho foram os motores que puxaram de forma bastante significativa o saldo positivo que Campos alcançou em maio com criação de 1.858 vagas de emprego, no balanço entre contratações e demissões, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Deste total, 1.147 postos de trabalho foram gerados no setor sucroenergético. Entre as ações do governo Wladimir Garotinho, estão a desburocratização para abertura de novas empresas, regularização fiscal, pagamento em dia dos servidores municipais, injetando no início de cada mês mais de R$ 100 milhões, além do ambiente favorável de negócios e as flexibilizações realizadas com a queda dos números de casos de Covid no município, dentro do Plano de Retomada da Economia. O comércio foi o destaque negativo, tendo registrado mais demissões que contratações. O Campos 24 Horas mostra a avaliação do economista Ranulfo Vidigal a respeito da criação de empregos tanto no campo quanto na indústria. (leia mais abaixo)


“Mais uma vez a agricultura comprovou ser ainda um setor importante na economia dos municípios do Norte Fluminense, particularmente Campos e São Francisco de Itabapoana. Com o início da safra da cana-de-açúcar, salta aos olhos a enorme disparidade entre o desempenho dos primeiros quatro meses do ano e o mês de maio. É importante frisar que a geração de empregos tanto no campo como nas industrias", disse o economista Ranulfo Vidigal. (leia mais abaixo)


 Ranulfo frisou que o protagonismo da agricultura é bastante positivo porque trata-se de um recurso que continua no município, ao contrário de outros setores. “Significa mais dinheiro circulando no comércio, impulsionando também outros setores”, afirmou Vidigal. (leia mais abaixo)


 No saldo acumulado do ano, Campos acumulou salso positivo de 3.012 vagas de emprego. Contudo, no ranking regional, Macaé foi o primeiro município com saldo positivo em geração de empregos, com 3.2002 postos de trabalho entre contratações e demissões. (leia mais abaixo)


No acumulado do ano, em Campos o setor de serviços foi destaque com a geração de 2.795 novas vagas no ano. O setor industrial gerou 2.308 vagas, seguido pelo setor agropecuária com a geração de 1.406 vagas e do setor de construção civil com a geração de 1.259 vagas. (leia mais abaixo)


O comércio foi o destaque negativo, tendo registrado mais demissões que contratações, com menos 76 vagas de emprego no acumulado do ano. (leia mais abaixo)


Em maio, entretanto, pela primeira vez no ano, o município supera Macaé, que contou com saldo de 580 vagas. São João da Barra ficou com saldo de 356 vagas, com destaque para os empregos na construção civil gerados no Porto do Açu. (leia mais abaixo)


São Francisco de Itabapoana, também a reboque a safra canavieira, gerou 394 vagas a mais, entre contratações e demissões em maio. (leia mais abaixo)


Neste mesmo mês, no plano nacional, o Brasil gerou saldo positivo de 277 mil postos de trabalho.  Já no acumulado em 2022, o país gerou 1.051.503 vagas. O estado do Rio de Janeiro gerou 77.648 empregos no ano. 

Entre para nosso
Grupo WhatsApp

Fique sempre bem informado sobre as últimas notícias!