31/12/2021, 12h05, Fotomontagem: Campos 24 Horas

Relembre os fatos marcantes de 2021 no município e na região na Retrospectiva do Campos 24 Horas. Campos começou com o prefeito Wladimir admitindo ter recebido uma herança nefasta do governo passado, com a prefeitura devendo a servidores, fornecedores e concessionárias;  1700 campistas amargaram a dor da perda de entes queridos por Covid, inclusive mortes de jornalista, empresário e comerciante;  as novas caras da política Goitacá e um recorde de pré-candidatos a deputado. Mas, Campos teve aumento de R$ 200 milhões dos royalties em comparação a 2020. O ano de 2021 foi terrivelmente decepcionante para o futebol de Campos. Por outro lado, a região teve uma grande notícia na área econômica: o gás se torna uma nova fonte de energia no Norte Fluminense. E a Câmara de Campos conseguiu um recorde de projetos aprovados. Foram 100 projetos de vereadores com a coordenação dos trabalho a cargo do presidente Fábio Ribeiro. Na Educação, profissionais e alunos enfrentaram situações desafiadoras. O deputado estadual Bruno Dauaire comandou a pasta da área social em todo Estado. O deputado estadual Rodrigo Bacellar é nomeado Secretário de Estado de Governo. (O Campos 24 Horas destaca abaixo os fatos que marcaram o município; leia:)


O ano começou com a tristeza e as incertezas causadas pela pandemia da Covid-19. Desde a morte do caminhoneiro Hudisson Pinto, morador do bairro da Penha, de 39 anos, primeira vítima da doença no município, mais de 1.700 campistas ainda amargam a dor da perda de entes queridos, famílias que ficaram sem chão ao ver desabar seu alicerce. Mas ao longo do ano, com a descoberta de vacinas e o avanço da imunização, sucedeu-se o clarear de novos horizontes com a volta à normalidade. Um ano de sofrimento, mas de confiança no porvir de um desfecho favorável, apesar de alguns percalços internos no país que ficou em segunda posição em número de óbitos no mundo. (Leia tudo abaixo)


A pandemia tirou vidas, mas também o sustento de muitos que sobreviveram. Gente que dependia da aglomeração e de circulação de pessoas e que com o isolamento social ficou sem recursos para suas necessidades básicas, especialmente os ambulantes, músicos e os que vivem do setor de eventos.  (leia mais abaixo) 


No primeiro dia de 2021 foram empossados o prefeito eleito Wladimir Garotinho (PSD) e o vice Frederico Paes (MDB). Na cerimônia com restrições devido à Covid, na Câmara Municipal, também tomaram posse os 25 vereadores. (leia mais abaixo) 


 O eleitor campista ofereceu aos políticos de Campos uma retumbante resposta nas urnas. A Câmara Municipal passou por uma ampla renovação na legislatura iniciada este ano com percentual de mais de 70% de alteração nas cadeiras do legislativo goitacá.  (leia mais abaixo)  


Wladimir admitiu ter recebido uma herança nefasta deixada pelo antecessor Rafael Diniz, com salários em atraso e ainda parte do 13º salário dos servidores, além de atraso com os fornecedores, mas o novo gestor se comprometeu a enfrentar os desafios e priorizar a regularização da situação, ao anunciar que uma de suas maiores prioridades seria pagar em dia ao funcionalismo. (leia mais abaixo) 


MAIS PERDAS - A pandemia continuava a levar vidas e impor perdas aos campistas. No dia 10/04, morria a empresária Noêmia Peixoto Bastos Viana, em decorrência de complicações da Covid-19. Ela tinha 67 anos e passou 15 dias internada. (leia mais abaixo) 


Conhecida como Noêmia Joias, era considerada uma das mais bem sucedidas empresárias da cidade. Noêmia era diretora da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Campos, que decretou luto.  Em junho, o jornalista Marcos Vinícius das Graças Fernandes, de apenas 25 anos, foi mais uma vítima fatal da Covid-19. Ele era formado pelo Centro Universitário Fluminense (Uniflu/Campos). (leia mais abaixo)  


No dia 15/08, era a vez de um dos comerciantes mais antigos e carismáticos do Centro de Campos, Pedro Paulo, conhecido por muitos como Pedrinho. Ela era proprietário das Casas Utilar e Rafinnati, ambas na rua Treze de Maio. (leia mais abaixo) 


Em setembro, outra perda foi o comerciante Carlos Queiroz, de 87 anos, que era dono da antiga Casa Queiroz, no Centro de Campos, que também morreu de Covid. A esposa dele, de 83 anos, também contraiu a doença e morreu em agosto.   (leia mais abaixo) 


GAS NA ECONOMIA - Mas o ano não foi marcado apenas por más notícias. Depois do advento do pré-sal e com o declínio da produção na câmara pós-sal, a região Norte Fluminense aposta agora noutra fonte de energia. O gás natural é a bola da vez, setor onde os investimentos estão estimados na região em R$ 20 bilhões em uma década.   (leia mais abaixo) 


Em São João da Barra, a GNA (Gás Natural Açu) foi a primeira das unidades a sair do papel, inaugurada este ano no Porto do Açu, com previsão de abrigar mais outras duas plantas industriais. Já concluída e definitivamente instalada, a usina acaba de iniciar suas operações comerciais. (leia mais abaixo) 


Com 1.338 MW de capacidade instalada, o suficiente para fornecer energia a 6 milhões de residências. Mas em Macaé, as projeções são mais ambiciosas. Os projetos apontam a instalação de 14 usinas com capacidade total de 14 gigawatt (GW), o equivalente a capacidade de oferta de uma hidrelétrica de Itaipu. (leia mais abaixo) 


Porém, apesar do recuo na produção de petróleo, os municípios produtores da Bacia de Campos passaram a receber repasses de royalties com percentuais significativamente mais elevados do que em 2020. Tudo por conta da retomada dos investimentos com os leilões da Petrobrás, a elevação do valor da commoditie no mercado internacional e a cotação do dólar.  (leia mais abaixo) 


Somente Campos recebeu mais de R$ 200 milhões em comparação com os recursos repassados no ano anterior.   Campos, seguindo uma tendência nacional, aos poucos vai se recuperando economicamente com o registro de saldo positivo na geração de empregos, com mais contratações do que demissões em 2021. O saldo positivo foi de 4.585 vagas de janeiro e novembro. No Norte Fluminense foram mais de 17 mil vagas. (leia mais abaixo) 


Diante da pandemia, o município também acumulou recordes de formalização de MEIs (micro empreendedores individuais).  O ano de 2021 foi importante para a recuperação de fôlego pelo comércio campista, ancorado no equilíbrio das finanças públicas. Tanto a prefeitura como os governos estadual e federal mantiveram pagamento e direitos sociais em dia para os cerca de 30 mil servidores públicos residentes em Campos. (leia mais abaixo) 


No segundo semestre, com o avanço da vacinação, alguns ramos de comércio mais atingidos pela pandemia voltaram a funcionar plenamente como bares, lanchonetes, restaurantes e o setor de eventos.  (leia mais abaixo) 


HOSPITAIS - No campo político-administrativo, o prefeito Wladimir Garotinho acertou também a atualização do pagamento de convênios com hospitais contratualizados e outras associações filantrópicas. (leia mais abaixo) 


Mas há ainda muitas queixas quanto ao atendimento com a falta de médicos em algumas UBS, assim como nos postos de urgência (PU) de Guarus e da Saldanha Marinho. (leia mais abaixo) 


O gestor também logo começou a colher os frutos de sua parceria com o governador Cláudio Castro (PL) ao anunciar a reconstrução do Hospital Geral de Campos (HGG), além de outras obras como a conclusão do Shopping Popular Michel Haddad e as obras no Parque Saraiva, em Goytacazes. (leia mais abaixo) 


EDUCAÇÃO - Na Educação, profissionais e alunos enfrentaram situações desafiadoras impostas devido ao período pandêmico. Os professores buscaram se organizar, seguindo as orientações da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) para proporcionar apostilas, livros e materiais necessários para que os alunos pudessem ter acesso aos conteúdos. Em escolas mais distantes e onde alunos tiveram dificuldades de acesso à internet, a solução foi estabelecer critério de cada professor escolher trabalhar com o Google Classroom mediante o quantitativo dos alunos. (leia mais abaixo) 


O período excepcional proporcionou ainda experiências e práticas do ensino remoto como ações no período pandêmico: envio das atividades por meio do recurso digital (WhatsApp); vídeoaulas gravadas no Youtube - tanto as pesquisadas no PAE – Programa de Aprendizagem Eficiente, quanto tantas outras  acordadas com o planejamento; utilização das apostilas elaboradas pela equipe da Seduct; disponibilização e utilização dos livros de Matemática e Língua Portuguesa enviados pelo MEC através do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), entre outras iniciativas. (leia mais abaixo) 


O secretário Marcelo Fer (leia mais abaixo) es comentou sobre as dificuldades e o Plano Municipal de Ensino Híbrido Seguro. "Tivemos que usar a criatividade de modo que criamos as oportunidades para os alunos aprenderem. Prejuízo houve, mas o plano que traçamos foi para reforçar a aprendizagem muito mais baseada nas questões das habilidades que precisavam ser desenvolvidas com materiais didáticos, plano de ensino para toda rede, de modo que os alunos fossem o mínimo prejudicados, com um calendário de maio até dezembro. Focando principalmente na questão das atividades e menos na questão de carga horária em termos de métrica".  (leia mais abaixo) 


Durante o ano de 2021, os servidores públicos municipais fizeram várias manifestações pelas ruas e nas redes sociais, já que estão há seis anos sem reposição salarial, enquanto o prefeito pediu paciência em razão das dificuldades encontradas ao assumir a prefeitura "quando tive que pagar 15 folhas em 12 meses".  (leia mais abaixo) 


Wladimir enfrentou este ano pressão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) que gradativamente estabeleceu restrições para pagamento de pessoal com os recursos dos royalties do petróleo. (leia mais abaixo) 


NOVAS CARAS DA POLÍTICA E RECORDE DE PRÉ-CANDIDATOS A DEPUTADO -  Ao longo deste ano, surgiram as primeiras movimentações de partidos e correntes políticas visando lançamento de pré-candidaturas à Assembleia Legislativa e Câmara Federal.  Pelo menos 26 nomes despontam como potenciais aspirantes a uma cadeira legislativa para representar Campos nas duas casas.   (leia mais abaixo) 


Entre os novos nomes, despontam a primeira-dama Tassiana Oliveira, que tem transitado com desenvoltura com participação em ações sociais no município, que pode disputar uma vaga na Alerj, além do engenheiro civil Tarcísio Miranda, neto do ex-senador que tem o seu mesmo nome. (leia mais abaixo)    


Há outras caras novas são o médico Bruno Calil (SD), candidato a uma cadeira na Câmara Federal, e o bombeiro militar e presidente do Clube de Regatas Rio Branco, Dimisson Nogueira. Bruno pode fazer dobradinha com Rodrigo Bacellar, candidato à reeleição na Alerj. O atual coordenador da UPA em Campos foi candidato a prefeito nas últimas eleições com bom desempenho, a ponto de ter sido preponderante para forçar a realização do segundo turno na disputa de 2020. (leia mais abaixo) 


Outras lideranças já conhecidas e testadas nas urnas como o ex-governador Anthony Garotinho, e o presidente da Câmara, Fábio Ribeiro (PSD) estão de olho numa cadeira na Câmara Federal.  E o ex-presidente da Câmara de Vereadores, Marcão Gomes. (leia mais abaixo) 


Da mesma forma, os empresários Marcelo Mérida (PSC) e Renê Siqueira (PSC), marido da ex-vereadora Rosilani do Renê e dono da empresa LinPin. Renê é também irmão do apóstolo Renan Siqueira, presidente da Associação das Igrejas Evangélicas de Campos. (leia mais abaixo) 


Para a Alerj, se movimentam o atual deputado Bruno Dauaire (PSC), que busca a reeleição; e a deputada federal Clarissa Garotinho (Pros), que deve mudar de endereço funcional de Brasília para o Rio. (leia mais abaixo) 


Outras vagas seriam de Thiago Rangel (Pros), Juninho Virgílio (Pros) e o vereador Maicon Cruz.  (leia mais abaixo) 


No PDT, Caio Vianna, atual secretário de Ciência e Tecnologia de Niterói e candidato nas últimas eleições para prefeito de Campos, disputa uma vaga de deputado federal. Vianna fará dobradinha com Vitor Junior, ex-secretário de Obras de Niterói e ex-vereador na ex-capital fluminense. (leia mais abaixo) 


O vereador Igor Pereira (SD), que integra o grupo independente na Câmara, também desponta como pré-candidato a deputado federal.  (leia mais abaixo) 


O pastor e ex-deputado federal Eber Silva deve disputar uma cadeira na Alerj como um dos representantes do segmento evangélico.  (leia mais abaixo) 


No campo socialista, o sindicalista José Maria Rangel, do Sindipetro, deve novamente concorrer a Câmara federal, pelo PT, enquanto a professora Odisséia de Carvalho pode disputar uma cadeira na Alerj.  (leia mais abaixo) 


No Psol, a professora Natália tem seu nome cogitado como pré-candidata à Alerj após o bom desempenho nas eleições de 2020 como candidata à prefeitura.  (leia mais abaixo) 


O ex-deputado Roberto Henriques, pelo PC do B é outro nome que pode disputar o retorno à Alerj. Já o ex-presidente da Câmara Municipal de Campos e ex-deputado federal Marcão Gomes (PL) pode tentar retornar a Brasília. (leia mais abaixo) 


Nesta movimentação, os deputados federais Christino Áureo (PP) e Hugo Leal (PL), que disputarão a reeleição e também buscam voto nas bases que tem em Campos, assim como Jair Bittencourt sai do Noroeste Fluminense com excelente votação para inflar sua musculatura em Campos na disputa da reeleição para a Alerj.  (leia mais abaixo) 


FUTEBOL - O ano de 2021 foi terrivelmente decepcionante para o futebol de Campos. O Goytacaz, que já se encontrava em situação difícil, acabou pior e foi rebaixado para a quarta divisão do futebol estadual, onde se encontra o Campos Atlético Associação. Já o Americano não conseguiu desta vez retornar à elite do futebol do Rio de Janeiro. 

Entre para nosso
Grupo WhatsApp

Fique sempre bem informado sobre as últimas notícias!