19/12/2021, 06h52, Foto: Campos 24 Horas

Em entrevista exclusiva ao Campos 24 Horas, o deputado estadual Bruno Dauaire (PSC) fala sobre assuntos importantes para a região e anuncia que as obras da Ponte da Integração, que fará a interligação entre Campos, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra, deverão ser retomadas neste primeiro semestre de 2022, segundo estimativa do governador Cláudio Castro (PL). Entre outros assuntos abordados na entrevista, o deputado falou sobre a construção da rodovia que ligará o Porto do Açu à BR-101, passando pela Baixada Campista, avaliou a performance de Wladimir na prefeitura de Campos e reiterou seu sonho de ser prefeito na terra da poetisa Narcisa Amália, município que já foi administrado pelo avô e o pai, além de falar o que Campos ainda pode esperar para 2022 do governo estadual e sua passagem na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social. Bruno critica e avalia o governo da prefeita Carla Machado (PP), que qualificou como “fraco”. O parlamentar chamou atenção para a falta de investimentos no município, desproporcional aos recursos que recebe em royalties do petróleo e o ISS do Porto do Açu.  “São João da Barra tem uma receita per capita mais três vezes maior que Campos, mas um grau de investimentos menor do que muitas cidades que não recebem royalties e com arrecadação de ISS menor".  (Veja a entrevista completa abaixo)


Campos 24 Horas -  Como o deputado tem observado a gestão do governador Cláudio Castro em sua busca para retomada do desenvolvimento do Estado, a partir da captação de recursos com programas de concessão de serviços como água e esgoto, rodovias e com o equilíbrio das contas?

Bruno Dauaire - O governador tem aproveitado bem o bom momento na Alerj com uma bancada de apoio – da qual faço parte – somado a uma equipe de governo coesa que, aliás, têm sido incansável. E, no caso dos recursos da Cedae, o governador vem aumentando a capacidade de investimento no Estado para gerar segurança aos investidores e garantir o desenvolvimento econômico das regiões. Também vemos a valorização da rede de proteção social em um momento tão sensível para as pessoas. Podemos perceber essas mudanças nas diversas obras de competência do estado, como a recuperação da malha rodoviária e em parcerias para a injeção de recursos para obras nos municípios. Na questão social, temos programas importantes como o Restaurante do Povo, RJ Alimenta, Supera RJ, Bolsa Atleta e muitos outros. São diversas frentes fundamentais para esse processo de reconstrução do estado. E tudo isso com as contas equilibradas, com o salário dos mais de 400 mil servidores ativos e inativos rigorosamente em dia. (leia mais abaixo)


C24H- A Ponte da Integração, que interliga os municípios de Campos, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana, é muito aguardada. O senhor acredita que esta vez a obra vai sair mesmo?

Bruno - O governador tem dito que não medirá esforços e espera até o primeiro trimestre de 2022 para retomar as obras. Durante todo o ano tenho cobrado ao Governo a conclusão, inclusive por meio da Indicação Legislativa 6091/2021, onde solicitei diretamente à secretaria das Cidades e ao Departamento de Estradas e Rodagens. Vamos torcer para que o Governo consiga realizar, o que será de suma importância para a região, principalmente para São João da Barra e São Francisco de Itabapoana. (leia mais abaixo)


C24H - Outra obra importante é a construção da RJ-244, que interligando o Porto do Açu à BR-101, passando pela Baixada Campista, desafogando o tráfego pesado de veículos na BR-356. O senhor também acredita na execução desta obra, que estaria para ser licitada? Quais as informações que o senhor teria sobre o andamento deste projeto da RJ-244?

Bruno - Sim. E são investimentos importantes anunciados, tanto é que tenho esperança de que, somados as essas citadas, também sejam realizadas uma série de outras obras importantes para São João da Barra que também solicitei oficialmente ao Governo. Como a urbanização da entrada da cidade, o Ginásio de Esporte, a urbanização e pavimentação da estrada que liga a localidade de Azeitona ao Açu, além de projetos de fomento à agricultura familiar. Também pedi a contenção ao avanço do mar, o melhoramento do sistema de água para Grussaí e muitas outras obras estruturantes. Vamos continuar acompanhando e ajudando no que pudermos porque a população precisa dessas intervenções. (leia mais abaixo)


C24H- Quais as iniciativas, realizações e benefícios mais importantes nesta parceria entre os governos municipal e estadual em Campos, além do Restaurante Popular?

Bruno - Estive trabalhando junto com ao prefeito Wladimir nessas iniciativas, sou um deputado da base e isso ajuda. E o prefeito é pé no acelerador. Essa parceria vai trazer R$ 500 milhões de investimentos do Governo do Estado ao município, como já foi anunciado pelo governador. Alguns pontos já são conhecidos e outros estão em andamento, como o Restaurante Popular, a unidade do Corpo de Bombeiro na Baixada Campista, a reforma do HGG, recursos para recapeamento das vias públicas, urbanização do Parque Saraiva, posto do Detran em Guarus, posto Sine, licitação para melhorias na Vila dos Pescadores, unidade da FIA na Cidade da Criança. São muitas novidades nessa parceria entre prefeito e o governador que ainda serão anunciadas. (leia mais abaixo)


C24H- O que mais Campos pode esperar para 2022 do governo estadual?

Bruno - Campos deve esperar uma ampliação dessa parceria de investimentos. Eu estarei lá na Assembleia e nos corredores do Governo dando rapidez e agilidade para que Campos se beneficie dessa parceria e que o prefeito continue trazendo benefícios à população. Será um ano complicado por ser eleitoral, mas eu e Wladimir, além de amigo de coração e irmãos políticos, temos uma química muito boa nessa parceria administrativa. Tem sido assim desde o meu primeiro mandato e vai continuar assim. Esse é o nosso dever e o nosso legado. (leia mais abaixo)


C24H - O senhor já declarou em várias oportunidades ter aspirações em ser prefeito de São João da Barra, inclusive numa entrevista ao Campos 24 Horas. Mantém esta intenção, continua a valer sua pré-candidatura?

Bruno - Trago a história e o legado de dois grandes prefeitos de São João da Barra: o meu Avô Alberto Dauaire e o meu pai ex-prefeito Betinho Dauaire. Todos marcaram as suas passagens por reconstruir a administração pública municipal e com grandes investimentos na cidade depois de receberem gestões que foram consideradas um fracasso. Será uma honra ser prefeito de São João da Barra, mas ano que vem temos uma eleição importante para Campos, São João da Barra e toda a região. Por isso, apesar de lideranças sanjoanense e uma boa parte da população desejar isso, vamos cuidar da eleição onde sou candidato à reeleição de deputado estadual. A minha candidatura ano que vem tem uma importância estratégica que vocês entenderão. Por enquanto, como diz o Russo (Wladimir Garotinho), "vamos fazer de Bruno o deputado mais votado de Campos". (leia mais abaixo)


C24H - Qual a sua avaliação sobre o governo da prefeita Carla Machado. Quais as lacunas e deficiências de sua gestão?

Bruno - Eu tenho independência para falar. Um governo muito fraco em investimentos, tem uma receita per capita mais do que três vezes maior do que Campos, mas um grau de investimentos menor do que muitas cidades que não recebem royalties e arrecadação de ISS menor. Mesmo que a incomode, o município precisa se socorrer do Governo do Estado para fazer obras. É um governo que não passa no crivo e analise de especialistas em administração e economia, como o professor Alcimar Chagas. Por mais que comece fazer obras agora – e tem que fazer – jamais vai recuperar o dano administrativo causado à população. Enquanto ela está sentada na cadeira de prefeita, tem uma média de investimentos muito baixa. E isso significa menos obras, menos emprego, menos dinheiro circulando na economia local e o comércio sofrendo. Já estou até vendo a grande possibilidade dela se apegar à lógica eleitoral, mas o que dizem no popular é que antes era uma bela viola e por dentro uma administração bolorenta. Agora, nem bela viola. (leia mais abaixo)


C24H - Como o deputado avalia a gestão do prefeito Wladimir Garotinho? Que nota o senhor daria para o governo atual em Campos?

Bruno -  Wladimir é um fenômeno administrativo. Não precisa ser especialista para ver que o campista vive um novo tempo. Em pouco tempo, tivemos a reabertura de unidades básicas de saúde, criação da Policlínica da Terceira Idade, o fim dos atendimentos nos corredores dos hospitais, mutirões de saúde. Além disso, também tem o Programa Nacional de Alimentação na Educação, diversas obras nos distritos e a busca por parcerias com realizar sonhos antigos da população, como a reforma do Hospital Geral de Guarus e a urbanização do Parque Saraiva. Eu poderia ficar aqui falando por horas e teria muitas entregas para citar.

E tudo isso sem se esquecer daquele que a base de qualquer serviço público, que é o servidor. Depois de anos de incerteza, finalmente ele tem o pagamento em dia, abono salarial de R$ 2 mil e ainda pagando os atrasados. Wladimir está fechando o primeiro ano com excelência administrativa. O seu grande desafio vai ser continuar mantendo esse alto nível administrativo. Fico feliz de fazer parte dessa reconstrução e de continuar ajudando como deputado estadual. Sei que falta muita coisa para ser resgatada e reconstruída. Sem precisar pensar muito, dou nota 10. Pelo trabalho realizado, pelo esforço e dedicação diária ao lado da primeira-dama Tassiana. Por ter dado a cara nas ruas, por ter contagiado funcionários e a equipe de governo que tem trabalhado muito neste mesmo esforço. (leia mais abaixo)


C24H- Estamos finalizando 2021. Como avalia sua passagem na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social. Qual o capital político e as realizações nesta sua condição de titular de uma pasta importante num momento em que a população mais pobre passa por sérias dificuldades em sua própria sobrevivência, inclusive com o retorno do Brasil ao Mapa da Fome? Qual a sua contribuição no período em que passou na pasta?

Bruno - Foi uma experiência repleta de emoções. Acho que a marca que ficou para a população foi uma administração que entrega o que é preciso. A secretaria ainda não tinha vivido uma velocidade tão intensa para acolher e resolver a demanda da sociedade. Demandas essas que vêm dos mais variados perfis, lá do alto das comunidades, passando pelos moradores do asfalto e do interior. E isso tudo em um momento delicadíssimo, no auge da pandemia. Devo muito a minha equipe. Decidimos viver pessoalmente junto aos moradores das comunidades e seus problemas. Isso fez toda a diferença. Às vezes me perguntavam: “o senhor vai lá no alto da favela, secretário? Tem certeza?”. E eu sempre respondi que “claro que sim”. Quem trabalha na Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos precisa estar perto das pessoas e ser humano na essência da palavra. (leia mais abaixo)


Também posso ressaltar algumas entregas importantes. Fui o primeiro secretário no Brasil a assinar o pacto com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pela redução da violência contra a mulher, em cerimônia aos pés do Cristo do Redentor. Abrimos, em parceria, diversos Centros Especializados de Atendimento à Mulher (Ceam); também firmamos parceria com o Detran para atendimentos aos idosos e pessoas com deficiência; reformamos e climatizamos o Abrigo Cristo Redentor, dando mais dignidade às minhas “namoradas” e amigos da terceira idade, como eu sempre brinquei com eles. Também empoderamento a secretaria para a atuação na causa das pessoas desaparecidas e das diagnosticadas com doenças raras. (leia mais abaixo)


Não posso falar da minha passagem na secretaria sem citar a reabertura do Restaurante do Povo em Campos, depois de tantos anos fechado, levando o programa para outras cidades também. Ampliamos o programa RJ Alimenta para matar a fome de milhares de cidadãos e implantamos o Supera RJ, programa de transferência de renda do Governo do Estado. Também tratamos de corrigir injustiças gravíssimas, como a reparação dos familiares das vítimas da chacina de Vigário Geral. Além disso, estivemos presentes e prestando socorro imediato aos atingidos pelas enchentes em vários pontos do estado e promovemos ações de combate à intolerância religiosa e a todas discriminações. (leia mais abaixo)


Outro ponto importante, foi a interiorização das ações da secretaria. Continuamos ampliando a assistência na capital, Baixada e Região Metropolitana, mas também acolhemos e estive pessoalmente com dezenas de prefeitos do interior. Onde tem gente, tem sofrimento social. Eu e a minha equipe, com o apoio do governador, estivemos sempre lá para ajudar. E, até hoje, quando o governador elogia todo o trabalho realizado e lembro da linda despedida que a equipe fez para mim, fico muito feliz. Sai da secretaria, mas as lições e missões que assumi ao aceitar o cargo nunca vão sair de mim. Mantenho amigos e recebo ligações até hoje, inclusive transferi várias pautas meu mandato na Alerj. Nunca vou esquecer da noite de Natal, ceando com os moradores em situação de rua, nunca vou me esquecer das visitas aos abrigos dos idosos e acamados, nunca vou esquecer das vítimas aterrorizadas pelos acidentes climáticos. Esse front de batalha social me ensinou muito como pessoa.

Entre para nosso
Grupo WhatsApp

Fique sempre bem informado sobre as últimas notícias!