1º/08/2022, 15h51, Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro (PL) recuou nesta segunda-feira (1º) e disse que 'não está chegando nada' em relação ao acordo comercial para que o Brasil compre diesel mais barato da Rússia. O conflito entre esse país e a Ucrânia provocou desequilíbrio no mercado internacional. (leia mais abaixo)


"Está sendo negociado. Não está chegando nada no momento. Mas a ideia é, o globo né, chegar por cima", disse Bolsonaro durante conversa com apoiadores, no Palácio da Alvorada.(leia mais abaixo)


No início do mês passado, Bolsonaro disse, sem dar mais detalhes, que "está quase certo" o acordo para a compra de diesel russo. "Na minha ida à Rússia, acertei fertilizantes para o agronegócio. E agora está quase certo um acordo para comprarmos diesel bem mais barato do país", destacou o presidente.(leia mais abaixo)


Em outro momento, em conversa com a imprensa, o presidente voltou a falar sobre o tema e destacou a possibilidade de o produto chegar ao país em cerca de 60 dias. "Nós importamos quase 30% do diesel. Agora você tem que importar diesel de quem está vendendo mais barato, e não importar de quem, por vontade, está vendendo até mais caro, porque, aumentando o preço, aumenta o lucro da Petrobras".(leia mais abaixo)


Bolsonaro viajou para a Rússia em fevereiro deste ano. Na ocasião, reuniu-se com Vladimir Putin  e defendeu a soberania dos países diante da invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro. Depois, em 27 de junho, Bolsonaro voltou a falar com Putin, dessa vez por telefone. Os assuntos discutidos foram fertilizantes e produtos agrícolas.(leia mais abaixo)


Estoque de diesel no Brasil

O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, disse em 12 de junho que o estoque de diesel no Brasil poderá durar mais 50 dias caso não haja novas importações ao longo desse período.(leia mais abaixo)


"O ministério está muito atento à questão do diesel, e até ontem o Brasil tinha 50 dias. Se acontecer algo no mundo e não puder importar mais petróleo, o país ainda assim tem 50 dias de diesel sem precisar importar petróleo", comentou o ministro durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.(leia mais abaixo)


Apesar dessa projeção, Sachsida descartou qualquer possibilidade de desabastecimento. Ele garantiu que o país tem diesel suficiente até dezembro. Segundo o ministro, em 11 de junho, o Brasil tinha nas suas reservas de diesel A S-10 (ou seja, sem adição de biodiesel) 1,6 milhão de metros cúbicos (ou 1,6 bilhão de litros) do combustível.

Entre para nosso
Grupo WhatsApp

Fique sempre bem informado sobre as últimas notícias!