Buscar:

Envie textos e fotos: Watsssap (22) 9 9709-9308

GERAL

Funcionários da Cidade da Criança recebem capacitação para evento no Dia Mundial do Autismo

Na tarde desta quarta-feira (29), funcionários da Cidade da Criança Zilda Arns passaram por um encontro de capacitação para interagir com crianças que sofrem do Transtorno do Espectro Autista. Psicólogas especialistas explicaram aos funcionários do local o que é autismo, como ele se manifesta e como interagir com crianças autistas. A intenção é que todos estejam aptos para o Encontro de Pais e Amigos dos Autistas, que acontece no domingo (2), com entrada gratuita das 9h às 12h.

Uma programação especial foi elaborada pela Associação dos Pais e Amigos dos Autistas de Campos (AMA-Campos) e conta com o apoio da prefeitura, através da Superintendência de Entretenimento e Lazer e Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca).

O superintendente adjunto de Entretenimento e Lazer, Fabiano Gomes, ressalta que conhecer melhor as características particulares do autismo é importante para os funcionários da Cidade da Criança.

— Visando otimizar o atendimento às crianças em geral, oferecemos aos monitores e funcionários um treinamento para receber um grupo muito especial no domingo que são os autistas — explica Fabiano.

O encontro foi ministrado pelas psicólogas especialistas em autismo Gianne Siqueira, Rosângela Sales e Elaine Vasconcelos, que ressaltam que a incidência de autismo na população é maior do que de AIDS, câncer e diabetes juntos e acredita-se que metade dos autistas ainda não tenha sido diagnosticada.

— Nossa intenção é mostrar como buscar um canal de comunicação com a criança autista. Para isso não existe uma técnica rígida, é necessário atenção e sensibilidade para perceber as características particulares de cada um e tentar entrar um pouco no mundo desta criança — comenta Gianne Siqueira.

A integrante do setor administrativo da Cidade da Criança Dilciany de Souza explicou que não só monitores passaram pela capacitação, mas também arte-recreadores, funcionários do setor de higienização, recepcionistas e porteiros.

— Nossa intenção é que as crianças se sintam acolhidas do momento desde a chegada até o momento de sua saída. Todos nós precisamos estar prontos para recebê-las, não apenas no próximo domingo, mas toda vez que nos visitarem — ressaltou Dilciany.

Febre amarela: governo pode ampliar vacina para todas as crianças até 5 anos

O governo federal estuda a possibilidade de incluir Rio de Janeiro e Espírito Santo – e, se necessário, outros estados – no grupo de unidades federativas que recebem permanentemente doses de vacina contra a febre amarela.

“O calendário de vacinação rotineira está em 19 estados. Provavelmente, Rio de Janeiro e Espírito Santo deverão ser incluídos nesse calendário regular”, disse hoje (30) o ministro Barros após reunir-se com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, também está sob estudo a possibilidade de, a partir de 2018, incluir a imunização contra a febre amarela no calendário de imunização para crianças com até 5 anos. “Para o próximo ano, a nossa área técnica propõe também vacinar as crianças com até 5 anos em todos os estados brasileiros”, acrescentou o ministro.

Segundo ele, nos últimos meses foram entregues cerca de 20 milhões de doses a mais em todo o país, além das 16 milhões de doses que são entregues aos 19 estados com vacinação permanente contra a doença. Na reunião que teve hoje no Planalto, Barros discutiu formas de atender a demanda espontânea nas áreas que não são atendidas permanentemente.

“Estamos avaliando quanto seria essa demanda. Aí, dependendo do número de pessoas que queiram ser vacinadas, nós vamos tomar a decisão sobre como fornecer o quantitativo necessário”, disse.

“A febre amarela está sob controle e está tecnicamente dentro das recomendações da Organização Mundial da Saúde. Nós fazemos bloqueios em toda região localizada ao redor de pontos onde foram encontrados macacos mortos”, acrescentou o ministro.

Ele lembra que a OMS recomenda uma dose de vacina durante a vida e que, no Brasil, são recomendadas duas doses no intervalo de 10 anos. “Para crianças, nossa recomendação é de uma dose aos 4 meses e outra até 5 anos”.

Fonte: Agência Brasil 

Prefeitura apoia Fepe que começará na próxima quinta-feira

A Prefeitura de Campos apoia a 29ª Feira de Preços Especiais (FEPE), que será realizada entre os dias 6 e 9 de abril, no Parque de Exposições da Fundação Rural de Campos (FRC). O evento promovido pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL/Campos) terá solenidade de abertura na quinta-feira (06), às 19h. Mas, no entanto, estará aberto ao público já a partir das 14h deste mesmo dia.

De acordo com o Executivo da CDL, Nilton Miranda, a Fepe funcionará na quinta e sexta-feira, das 14h às 22h, e no sábado e domingo, das 10h às 22h. Estandes de confecções masculinas, femininas e infantis, além de móveis, artesanato e calçados deverão estar entre os mais procurados pelo público.

— Agradecemos o apoio da prefeitura por meio da Guarda Civil Municipal, de uma ambulância para atender a população em caso de emergência e por ceder um gerador para dar suporte na iluminação. Neste ano teremos 150 estandes com 120 expositores, além de um espaço infantil e uma praça de alimentação — detalhou Miranda.

Ele ressaltou, ainda, que a expectativa de público para os quatro dias de evento é de cerca de 25 mil pessoas. O valor da entrada para a 29ª Fepe será de R$ 2.00/dia.

Febre amarela: governo pode ampliar para todas as crianças até 5 anos

O governo federal estuda a possibilidade de incluir Rio de Janeiro e Espírito Santo – e, se necessário, outros estados – no grupo de unidades federativas que recebem permanentemente doses de vacina contra a febre amarela. Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, também está sob estudo a possibilidade de, a partir de 2018, incluir a imunização contra a febre amarela no calendário de imunização para crianças com até 5 anos.

– O calendário de vacinação rotineira está em 19 estados. Provavelmente, Rio e Espírito Santo deverão ser incluídos nesse calendário regular – disse hoje (quinta-feira, 30) o ministro Barros, após reunir-se com o Presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto.

Sobre a ampliação da vacinação para crianças com até 5 anos, Ricardo Barros disse: “Para o próximo ano, a nossa área técnica propõe também vacinar as crianças com até 5 anos em todos os estados brasileiros”, acrescentou.

Segundo ele, nos últimos meses foram entregues cerca de 20 milhões de doses a mais em todo o país, além das 16 milhões de doses que são entregues aos 19 estados com vacinação permanente contra a doença. Na reunião que teve hoje no Planalto, Barros discutiu formas de atender a demanda espontânea nas áreas que não são atendidas permanentemente.

– Estamos avaliando quanto seria essa demanda. Aí, dependendo do número de pessoas que queiram ser vacinadas, nós vamos tomar a decisão sobre como fornecer o quantitativo necessário. A febre amarela está sob controle e está tecnicamente dentro das recomendações da Organização Mundial da Saúde. Nós fazemos bloqueios em toda região localizada ao redor de pontos onde foram encontrados macacos mortos”, acrescentou o ministro.

Ele lembra que a OMS recomenda uma dose de vacina durante a vida e que, no Brasil, são recomendadas duas doses no intervalo de 10 anos. “Para crianças, nossa recomendação é de uma dose aos 4 meses e outra até 5 anos”.

Ministério vai ampliar vacinação de febre amarela fora de áreas de risco

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse hoje (30) que o governo vai disponibilizar a vacina contra a febre amarela para toda a população, mesmo fora das áreas de risco da doença. Segundo ele, as notícias causam um “alarde desnecessário e as pessoas ficam ansiosas e querem se vacinar”.

“Nós vamos dar uma solução para isso, mas não é necessário que a pessoa que está em uma área de não recomendação vá procurar a vacina, ela não está correndo nenhum risco”, disse o ministro.

Ele alertou ainda que a vacina tem efeitos adversos e que as pessoas que não precisam da dose contra febre amarela, ao se vacinar, estão correndo um risco desnecessário. Barros participou hoje do 3º Encontro da Rede Nacional de Especialistas em Zika e doenças correlatas (Renezika), em Brasília.

“O Rio de Janeiro vacina 4,5 mil pessoas por mês nas unidades durante a rotina e agora está vacinando 6 mil por dia. Então, é preciso dispor dessas vacinas porque as pessoas estão indo nas unidades, embora o Rio de Janeiro não seja uma área de recomendação de vacinação. E para esses casos estamos adotando uma nova estratégia”, disse.

Barros contou que, como não há planejamento para essa demanda espontânea, ele pediu hoje aos secretários de saúde estaduais e municipais que façam um levantamento a respeito das doses necessárias para atender a população. “Essa ansiedade é natural e o ministério entende isso e, embora não esteja no protocolo de vacinação, nós vamos atender. É uma questão de conforto ao cidadão que o Estado vai providenciar”, disse.

Não há previsão de quando as vacinas estarão disponíveis para todos nem da estratégia que será adotada. Segundo Barros, isso dependerá da quantidade de doses necessárias e de um planejamento para não desperdiçar as vacinas.

O ministro contou ainda que a vacinação é universal em 19 estados do Brasil e que o governo estuda, para o ano que vem, vacinar todas as crianças, mesmo onde não há recomendação.

Segundo Barros, não há falta de vacinas nas unidades de saúde das áreas de risco e para a vacinação de rotina, como os casos de viajantes. “Não há falta de vacina, elas estão sendo entregues dentro da cota estabelecida para a vacinação regular e atendimento do protocolo. Mas, se as pessoas buscam mais vacinas, essa cota tá sendo utilizada para isso”, disse.

Fonte: Agência Brasil 

Servidores da Saúde do Rio recebem amanhã parte dos salários de fevereiro

A Secretaria de Estado de Saúde informou que pagará nesta sexta-feira (31) os valores correspondentes a 50% dos salários de fevereiro de todos os servidores ativos lotados na rede estadual, além de funcionários concursados administrativos e com cargos comissionados. Segundo o governo, serão utilizados cerca de R$ 8 milhões em recursos próprios da pasta, com a finalidade de minimizar o atraso no pagamento dos funcionários, devido à crise financeira enfrentada pelo estado.

“Em meio ao atual momento de dificuldade financeira, nossos funcionários têm mantido o profissionalismo, com o objetivo de garantir o funcionamento da saúde estadual, portanto, isso precisa ser reconhecido. Faremos um grande esforço, assim como fizemos, excepcionalmente em meses anteriores, para que possamos, desta forma, fazer com que as pessoas recebam ao menos parte dos seus vencimentos de fevereiro”, disse o secretário de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Júnior.

Fonte: Agência Brasil 

Governo libera R$ 19 milhões para vacinação contra febre amarela em 5 estados

O Ministério da Saúde irá liberar R$ 19,2 milhões para ações de intensificação da vacinação contra a febre amarela. A informação foi publicada hoje (30) no Diário Oficial da União (DOU). Os recursos serão repartidos entre Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo.

Segundo dados do ministério, até a última quinta-feira (23) já tinham sido confirmados 492 casos da doença no país. Outros 1.101 estavam em investigação. As mortes confirmadas eram 162 e outras 95 ainda são analisadas.

O atual surto é considerado o maior no Brasil desde 1980, quando o Ministério da Saúde passou a disponibilizar dados da série histórica. Até então, a situação mais grave havia ocorrido em 2000, quando morreram 40 pessoas em todo país.

Minas Gerais possui o quadro mais grave, reunindo mais de 70% das confirmações. De acordo com boletim epidemiológico divulgado ontem (29) pelo estado, já são 376 casos confirmados e 137 mortes com exames positivos para febre amarela.

Por esta situação, os mineiros receberão a maior fatia dos recursos liberados pelo Ministério da Saúde: 55,8%. São R$ 10,74 milhões que serão divididos entre o governo estadual e as prefeituras de 366 cidades.

No Espírito Santo, o estado e 18 municípios ficarão com R$ 2,51 milhões. Para o Rio de Janeiro, serão destinados R$ 2,36 milhões. Além do governo estadual, também serão beneficiadas 41 cidades fluminenses. Do restante, o total de R$ 1,89 milhão irá para o governo da Bahia e 16 municípios baianos. O estado de São Paulo e 85 cidades paulistas ficarão com R$ 1,7 milhão.

Este não é o primeiro investimento na intensificação da vacinação contra febre amarela que o Ministério da Saúde realiza este ano. No mês passado, os mesmos cinco estados receberam R$13 milhões  para ações de imunização da população.

Doença

A febre amarela atinge humanos e macacos e é causada por um vírus da família Flaviviridae. A principal forma de combate é pela vacinação, ofertada gratuitamente nos postos de saúde, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

No meio rural e silvestre, o vírus da doença é transmitido pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes. Em área urbana, o vetor é o Aedes aegypti, o mesmo da dengue, do vírus Zika e da febre chikungunya. Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão da febre amarela no Brasil não ocorre em áreas urbanas desde 1942. O atual surto é considerado silvestre.

Fonte: Agência Brasil 

Governo vai reduzir juros de crédito consignado para servidores e pessoal do INSS

Brasília – O governo vai reduzir as taxas de juros do crédito consignado (empréstimos com desconto em folha de pagamento). O percentual cobrado dos servidores públicos federais passará de 34,5% para 29,8% ao ano. Por mês, o valor cairá de 2,5% para 2,20%. Para os aposentados do INSS, a taxa anual baixará de 32% para 28,9% (2,34% para 2,14% ao mês). A decisão será publicada nesta sexta-feira em uma portaria do Ministério do Planejamento.

Segundo um integrante da equipe econômica, a medida vai ajudar a estimular a economia. Ele explicou que os dados do mercado de crédito mostram que houve uma redução no endividamento das famílias, o que abre espaço para ações pontuais de incentivo ao consumo.

O crédito consignado tem hoje um estoque de R$ 289 bilhões. Deste total, R$ 168,2 bilhões são operações de servidores e R$ 102,4 bilhões de aposentados. Pelos dados do governo, a redução das taxas de juros vai reduzir o custo dos tomadores em R$ 3,7 bilhões ao ano.

— Já há uma redução no endividamento das famílias, então, isso aumenta a demanda por crédito. Assim, é bom que também haja uma redução do custo das famílias com os financiamentos — disse um integrante do governo.

Lula: candidatura só no ano que vem

Brasília – O PT deu indicações de que resolveu esperar até o próximo ano para lançar a candidatura de Lula à Presidência da República. O presidente do partido, Rui Falcão, disse, durante um seminário do partido, que não há necessidade de antecipar o calendário eleitoral — que prevê convenções partidárias em junho de 2018 — e que a precipitação poderia ser entendida pela Justiça Eleitoral como campanha antecipada.

A ideia anterior era aproveitar o 6º Congresso Nacional do PT, marcado para os dias 3 e 4 de junho, em Brasília, para fazer um lançamento informal da pré-candidatura. A posição mais cautelosa teria a intenção de evitar ações que levem a Justiça Eleitoral a se manifestar, colocando obstáculos à candidatura.

A boa posição de Lula nas pesquisas também teria influenciado a decisão, indicando que a antecipação da campanha traria mais riscos do que benefícios.  O plano agora é priorizar agendas públicas para Lula ligadas a causas como o combate à Reforma da Previdência e à terceirização.

 

Nova regra eleva multa para fraudes com carnes

O governo federal aproveitou a crise no setor de proteína animal, após a deflagração da Operação Carne Fraca, há quase duas semanas, para atualizar o Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (Riispoa).

Um novo decreto, assinado nesta quarta-feira, 29, pelo presidente Michel Temer, retira poderes de fiscais do setor, na tentativa de evitar novos casos de corrupção, e ainda amplia punições para empresas que fraudarem o sistema: a multa máxima prevista para fraudes no setor sairá de até R$ 15 mil para até R$ 500 mil.

Apesar de a nova regulamentação ser apresentada no dia em que a anterior completou 65 anos, tentativas de alteração ocorriam há mais de dez anos no Ministério da Agricultura. No entanto, segundo o ministério, o corporativismo de servidores e a resistência de empresas ao aperto da fiscalização impediam as mudanças.

Na avaliação do secretário executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Novacki, feita durante a cerimônia no Palácio do Planalto, o novo decreto acaba com a política de “criar dificuldade para vender facilidade”, uma referência ao amplo poder dado aos fiscais do setor.

Segundo o ministério, a nova regulamentação, apesar de simplificar os procedimentos, não reduzirá as regras para segurança sanitária. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, avalia que o decreto torna as normas mais claras, retirando do fiscal o poder de interpretação.

As indústrias que cometerem irregularidades serão punidas com multas mais altas e correrão o risco de perda do selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), necessário para a comercialização de carnes. Haverá três faixas de penalidades: leve, grave e gravíssima.

Caso alguma das empresas sofra três advertências gravíssimas em um ano, o selo será cassado. “Se não tem SIF, não tem como trabalhar”, disse o ministro. Segundo ele, até então frigoríficos eram punidos com interdições que poderiam ser revertidas na Justiça.

Maggi relatou que o antigo regulamento previa a fiscalização de doenças que nem existem mais hoje, e o atual orientará, por exemplo, a fiscalização de outras enfermidades que surgiram nas últimas décadas, como a Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), popularmente conhecida como o “mal da vaca louca”.

Fonte: Folha de São Paulo

DataFox

Anuncie Conosco

(22) 9 9709-9308

E-mail: